Divinópolis registra queda no pedido de seguro-desemprego

Junho apresentou retração, quando comparado ao mesmo período do ano passado

Da Redação

Depois de dispararem em todo o país, no decorrer do ano passado, devido à pandemia do coronavírus, os pedidos de seguro-desemprego dos trabalhadores com carteira assinada demonstram um comportamento de queda nos últimos meses. 

Divinópolis, por sua vez, não ficou fora do patamar nacional em relação aos pedidos, que, em maio último, tiveram queda anual, em comparação ao mesmo período, de 47,7%.

Dados atuais

Números da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis, enviados pelo Instituto Vitaltec, baseados nos dados do Ministério da Economia, mostram que, no mês de junho, foram registrados 701 pedidos de seguro-desemprego na cidade, contra 997 solicitações no mesmo mês do ano passado, resultando numa queda anual de 29,6%. A análise mensal retrata uma variação negativa de 7%, uma vez que em maio foram realizados 756 pedidos de seguro-desemprego.

Em queda 

Em Divinópolis, a estatística mostra que, entre janeiro e junho deste ano, foram realizados 3.231 pedidos de seguro-desemprego contra 3.721 no mesmo período de 2020, representando uma retração de 13%. Os números apontam importante melhora do mercado de trabalho do município, uma vez que os dados de seguro-desemprego estão nos mesmos patamares observados no período pré-pandemia.

— O ano passado foi muito difícil para nós que trabalhamos na prestação de serviços. O abre e fecha dos restaurantes e similares afetou a todos que trabalham no setor. E eu para me virar, como churrasqueiro que sou, comecei a trabalhar prestando serviços a particulares. E não é que está dando certo? Até mesmo não pensei, ainda, em voltar a trabalhar. Claro que não descarto, mas vou olhar com mais carinho as possíveis vagas na área – disse Wállace Costa.

Já para o garçom Fernando Moreira, o momento é de retorno ao emprego que já ocupa há certo tempo.

— Com a pandemia, as coisas ficaram ruins para o setor de alimentação fora de casa. Daí fiquei desempregado e comecei a fazer bicos para ajudar a minha esposa, que é salgadeira, no sustento da casa. Mas, como agora as coisas melhoraram, estou de volta ao meu antigo emprego e feliz em rever os amigos clientes — revelou. 

Centro-Oeste 

A variação das solicitações de seguro-desemprego nas principais cidades da região Centro-Oeste, entre junho de 2020 e o mesmo mês de 2021, demonstrou forte queda no requerimento. A cidade de Nova Serrana registrou a maior retração na solicitação em relação a junho de 2020, -77,1%; seguida por Divinópolis, com -29,6%; Pará de Minas, -28,7%; Itaúna, -26%; e Formiga, com -14,7%.

Fatores

Para o economista Leandro Maia, é preciso considerar uma série de fatores que influenciaram na queda.

— Em abril de 2020, o governo federal instituiu a medida provisória para apoio na manutenção do emprego, permitindo, entre outras ações, a redução da jornada de trabalho, tendo parte do salário do trabalhador custeado pelo seguro-desemprego. E hoje, o avanço da vacinação e uma previsibilidade de retomada da economia trazem mais segurança aos empresários para a manutenção dos negócios —avalia o economista.

Comentários
×