Divinópolis registra queda histórica da criminalidade

Indicadores também caíram na região e no estado

Da Redação

Divinópolis tem registrado números positivos no enfrentamento à criminalidade. Dados da Polícia Militar (PM) apontam queda de roubos e crimes violentos na área de atuação do 23º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Na cidade, a queda tem sido ainda mais forte do que a média geral da região.

 

Números

Em balanço, o 23º BPM informou que, no comparativo de outubro de 2021 com o mesmo período do ano anterior, os índices de roubo caíram 55% e de crimes violentos 44% na região. Em Divinópolis, para além dos outros municípios atendidos pelo 23º Batalhão, a redução foi ainda mais acentuada: queda de 62% de roubos e 50% de crimes violentos.

Os indicadores também são positivos quando comparados aos anos anteriores.

— É a maior redução da criminalidade nos últimos 11 anos — informou a PM.

 

Estado

A queda dos indicadores também segue o ritmo do estado. Segundo dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), referentes ao primeiro semestre de 2021, Minas Gerais é o estado mais seguro do país.

— Os dados de janeiro a maio já davam a Minas a primeira colocação no cenário nacional, resultado que se fortaleceu com a disponibilização das informações de junho – os últimos dados divulgados pelo Sinesp — informou o governo.

Em 2019, por exemplo, Minas ocupava a terceira posição do ranking.

 

Taxa de criminalidade

Segundo o cálculo, Minas tinha, em 2016, uma taxa de criminalidade de 474,03 por 100 mil habitantes, ocupando o sétimo lugar no ranqueamento nacional. No mesmo período, a taxa nacional equivalente era de 668,49. Em 2019, ao atingir o terceiro lugar no pódio de Segurança Pública, o estado apresentava uma taxa de 260,96 por 100 mil habitantes, enquanto o coeficiente brasileiro era de 358,51. E, finalmente, nos seis primeiros meses de 2021, a taxa mineira é de 87,42, sendo a proporção em todo o Brasil de 145,04. Os estados que ocupam a segunda e terceira colocação estão com suas taxas em 97,79 e 102,71, respectivamente.

 

Mais união

A integração das forças de segurança, destaca o governo estadual, é um dos fatores que contribuíram para a repressão preventiva de crimes.

— Somente no primeiro semestre, foram mais de 15 operações integradas realizadas com diferentes focos: combate ao crime organizado; combate ao tráfico de drogas; combate à criminalidade violenta nas áreas de fronteiras com outros estados; violência doméstica e familiar contra a mulher; combate ao uso irregular de produtos controlados, entre outras — argumentou o governo. 

Na terceira fase da Caminhos de Minas, coordenada pela Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), finalizada em julho, foram apreendidos mais de 600 kg de drogas em rodovias de todo o estado. Além disso, cerca de 220 suspeitos foram presos, 12 armas de fogo retiradas de circulação e sete procurados pela Justiça capturados, desde o início da megaoperação.

 

Comentários
×