Divinópolis registra novo recorde de casos confirmados de coronavírus desde o início da pandemia

Foram 358 confirmações apenas nesta semana, que também chegou a ter sete crianças internadas; somente nas últimas 24h, houve 398 novos casos suspeitos

Da Redação

A semana epidemiológica compreendida entre os dias 12 e 18 de dezembro registrou o maior número de casos confirmados de coronavírus em Divinópolis desde o início da pandemia. Foram 358 confirmações apenas nesta semana – até então, o recorde pertencia ao período de 28 de novembro a 4 de dezembro, com 288 casos confirmados.

(Foto: Reprodução/Prefeitura de Divinópolis)

 

O boletim epidemiólogico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) nesta sexta-feira, 18, traz 398 novos casos suspeitos de coronavírus em Divinópolis, em relação a ontem, e a cidade soma 24.174 casos notificados.

Desses, no entanto, apenas 4.930 (20,39%) foram testados: 3.290 casos confirmados – 57 a mais do que ontem, sendo 2.840 recuperados –, 1.353 descartados e 287 exames em análise.

Há 54 pacientes internados em leitos de covid-19 em enfermarias – que está com a ocupação em 48,6% –, e 48 em Centros de Terapia Intensiva (CTIs) – o que representa 65,8% de ocupação. Quatro crianças estão hospitalizadas, sendo duas em CTI e duas em enfermaria.

(Foto: Reprodução/Prefeitura de Divinópolis)

 

 

A cidade registra 87 mortes em decorrência da doença, duas confirmadas hoje.

A taxa de isolamento no município está em 33%, de letalidade em 2,64% e o ritmo de contágio em 1,16.

Dezembro ainda não terminou mas já tem os maiores índices de casos suspeitos e confirmados de covid-19. Até hoje, foram 5.058 notificações e 797 confirmações, superando o mês de novembro, que até então tinha os maiores números, com 4.074 suspeitas e 600 registros confirmados.

O Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus decidiu, nesta sexta-feira, proibir a venda de bebidas alcóolicas em bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos afins. A medida entra em vigor a partir da próxima segunda-feira, 21.

 

 

 

Comentários
×