Divinópolis registra aumento de pedidos de seguro-desemprego

Solicitações cresceram 16,5% em relação ao mesmo período do ano passado

Da Redação

Após fechar o ano passado com queda de pedidos de seguro-desemprego, Divinópolis viu os números voltarem a subir. Na cidade, após expressiva elevação das solicitações no inicio do ano de 2020, houve forte redução a partir do segundo semestre. O número que chegou a 823 na segunda quinzena de abril, caiu para 369, no mesmo período em outubro, o que representa uma queda de 55%.

Dados atuais

Segundo dados atuais da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPRT) do Ministério da Economia, apresentados em relatório do Instituto Vitaltec à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis, no mês de fevereiro de 2021 o município registrou 678 pedidos de seguro desemprego, 16,5 % a mais que no mesmo período de 2020, quando foram realizadas 582 solicitações.

Na análise anual, em 2020 foram registradas 10.437 solicitações de seguro desemprego em Divinópolis, contra 10.602 pedidos realizados durante todo o ano de 2019, resultando numa retração de 1,55%. Entre os fatores que podem explicar a queda nas solicitações, pode-se destacar a diminuição no número de desligamentos em 2020, onde foram registradas 22.564 demissões, comparado a 2019 quando registrou-se 24.513 desligamentos no município

No ano de 2019, Divinópolis registrou um saldo negativo de 361 empregos. Já em 2020 foram 505 empregos formais a menos, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Uma retração no número de geração de empregos, reflexo da insegurança e falta de previsibilidade dos empresários diante da pandemia da covid-19.

Centro – Oeste

Os índices das principais cidades da região Centro - Oeste de Minas Gerais, no mês de fevereiro de 2020 e de 2021, mostram que Nova Serrana registrou 44.2% de retração, a maior queda na solicitação de seguro desemprego, seguida pelo município de Itaúna com retração de 18,75%. As cidades que demonstraram aumento no mesmo período foram: Formiga 38,12%, Pará de Minas 17,6% e Divinópolis com 16,5%.

Brasil

Segundo o economista do Instituto Vitaltec, Leandro Maia, a taxa de desemprego vem crescendo no Brasil desde 2017, reflexo da forte recessão entre o segundo trimestre de 2014 e o final de 2016. As expectativas eram de uma recuperação da economia brasileira em 2020, no entanto, o cenário mudou com a crise econômica e sanitária trazida pelo coronavírus.

— Com a pandemia não foi possível avançar. Porém, com as medidas do Governo Federal em 2020, tais como o auxílio emergencial, que permitiu injeção de dinheiro no mercado, a redução nas taxas de juros, somada às medidas de flexibilização trabalhistas contribuíram para a manutenção dos postos de trabalho, registrando então uma retração nas solicitações de seguro desemprego em 2021 — esclarece Leandro.

Na análise dos dois primeiros meses de 2021 foram realizadas 1.424 solicitações de pedidos de seguro desemprego contra 1.553 no mesmo período de 2020, o que representa uma retração de 8%.

 

Comentários
×