Divinópolis: Polícia Civil investiga fraude milionária em concessionária

Investigação aponta que o gerente de vendas e os vendedores comercializavam os veículos por um valor superior ao que era repassado à concessionária e subtraíam o valor da diferença na venda

Da Redação

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) cumpriu, na manhã desta quinta-feira, 29, mandados de busca e apreensão na residência de três investigados pelos crimes de lavagem de dinheiro, furto qualificado pela fraude, estelionato e fraude processual. A ação, deflagrada nos bairros Centro, Sidil e Cidade Jardim, resultou na apreensão de R$ 14 mil, três celulares, dois notebooks e diversos documentos. O prejuízo estimado pela vítima ultrapassa R$ 1 milhão.

As investigações se iniciaram há aproximadamente dois meses, quando a PCMG em Carmo do Cajuru foi acionada pelo proprietário de uma agência de veículos. Segundo ele, os lucros de sua empresa haviam caído significativamente nos últimos meses, o que indicava uma suposta fraude nas vendas.

Segundo o delegado Weslley Castro, as investigações apontaram que o gerente de vendas e os vendedores comercializavam os veículos por um valor superior ao que era repassado à concessionária e subtraíam o valor da diferença na venda.

— Com o objetivo de ocultar a prática delituosa, os investigados lançavam dados errados dos compradores de veículos no sistema e diziam a eles que a nota fiscal seria emitida no valor mais baixo para lhes ajudar. Além disso, eles utilizavam contas bancárias de parentes, para então lavar os capitais auferidos ilicitamente — revela.

As investigações conduzidas pela Delegacia de Polícia Civil em Carmo do Cajuru, com apoio da Agência de Inteligência da Delegacia Regional de Polícia Civil em Divinópolis, prosseguem com o objetivo de recuperar o restante do patrimônio subtraído da vítima. Ao final do inquérito, os investigados serão indiciados pelos crimes de lavagem de dinheiro, furto qualificado pela fraude, estelionato e fraude processual.

Comentários
×