Divinópolis pode perder projeto Fazendo Arte

 

Jorge Guimarães  

Após 15 anos, o Projeto Fazendo Arte deixou de ser contemplado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura.  Sem recursos para manter as oficinas, 1,5 mil crianças e adolescentes podem ficar sem as oficinas de arte. Coordenação, entidades, ex-alunos, familiares dos alunos e arte-educadores se mobilizam para o maior projeto sociocultural de Divinópolis não parar neste ano.  

Dificuldades  

A coordenadora do projeto, Lenir de Castro, confirmou a dificuldade de voltar com as oficinas de arte sem recursos financeiros. 

– Neste momento, Divinópolis perdeu maior e principal projeto sociocultural. Nossa proposta, após 15 anos, foi rejeitada na Lei de Incentivo à Cultura e precisamos da ajuda de todos – afirmou Lenir.  

Encontros  

Desde o começo do ano, a coordenação do projeto se reúne com os pais explicando a situação. Os encontros já reuniram mil pais e responsáveis pelos alunos.  

– Estamos comunicando os pais dos alunos a falta de apoio. Em uma das reuniões, nos encontramos com 100 e, em outras, com mais 200 e assim já mobilizamos os pais para nos ajudar nesta caminhada. Estamos buscando alternativas para não deixar o projeto parar neste ano. Estamos atrás de apoiadores, empresas, poder público, pessoas, instituições que simpatizam e acreditam nesta ferramenta que é uma grande aliada na transformação sociocultural – avaliou Lenir.  

15 anos  

O projeto incentiva a arte desde 2003 por meio das oficinas de artes plásticas, flauta, violão, canto, teatro, viola caipira, teatro musical, contação de histórias, danças (balé/jazz/folclóricas/hip-hop), percussão e canto popular.  

 

Comentários
×