Divinópolis perde uma de suas memórias vivas

Ricardo Moreira passou pelo governo de Antônio Martins e foi vereador; ele passou mal quando conversava com Eduardo Print Jr.

Da Redação

A história de Divinópolis nestes 109 anos, perdeu nesta sexta-feira, 25, um dos principais conhecedores de cada canto, situações e personagens desta cidade. Ricardo Nogueira que atuou nos mandatos de Antônio Martins e Galileu Machado era uma memória viva na opinião de amigos próximos e dezenas pessoas que o conheceram. Foi também vereador por um mandato. A morte de Moreira pegou muita gente de surpresa, visto que estava bem de saúde. Ele tinha 75 anos e teve um mal súbito, no momento em que conversava com o presidente da Câmara, Eduardo Print Jr. (PSDB) que foi lhe entregar o livro 109 Histórias de Divinópolis com uma dedicatória. Print o homenageou na obra que tem autoria de Welber Tonhá. O livro, o segundo de Tonhá com o mesmo propósito foi lançado na noite desta quarta-feira, 23.

Enciclopédia viva

Este foi o título do texto de Print Jr. no livro em homenagem a Ricardo Moreira que inicia assim: “Ocupar um cargo de confiança e tamanha responsabilidade na Prefeitura aos 22 anos, não é para qualquer um. Um desafio grandioso, especialmente para um jovem que iniciava sua carreira pública no início dos anos 70, com a missão de modernizar o modelo de trabalho e gestão da principal cidade do Centro Oeste de Minas”.
Em outro trecho, o vereador destaca o segmento onde Ricardo gostava mais de atuar. “O coração batia mais forte no setor no qual sempre ganhou destaque. Não à toa, após os quatro anos como vereador a ocupar o Cadastro da Prefeitura, que na época na gestão do hoje deputado federal, prefeito na época, Domingos Sávio (PSDB)”.

Sem palavras

A reportagem conversou com Eduardo Print que confirmou que confirmou a emoção do Ricardo Moreira ao ser informado de sua homenagem a ele, quando passou mal.

— Sem palavras. Não consegui absorver a situação ainda. Não dei conta de voltar para a Câmara e, 17h agora, não comi nada ainda — resumiu.

Os amigos lamentaram a perda. Um deles, José Elísio Batista que trabalhou com Moreira na gestão Antônio Martins.

— Acabei de perder nosso Ricardo Moreira, amigo, companheiro de fé. Mais um integrante da equipe de Antonio Martins. Foi o responsável pela implantação do Cadastro Técnico em 1974/76. Com ele se vai a memória físico territorial e urbanística de Divinópolis — lastimou.

Com a morte de Ricardo Moreira, restam da equipe Antônio Martins, apenas José Elísio e José Roberto Saleh, Inácio , Dr. Anésio, Mariângela Sena, Ênia Azevedo e Rui Tavares.

 

Comentários
×