Divinópolis perde um de seus melhores narradores

Da Redação

Aos 63 anos, morreu na manhã desta segunda-feira, 14, o dono de uma das maiores vozes do jornalismo esportivo, o narrador Ricardo Lúcio. O locutor divinopolitano estava internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) desde sexta-feira, 11, quando sofreu duas paradas cardíacas. Ricardo sofria com complicações causadas por diabetes desde 2016.

Conforme informações, em 2016, ele precisou amputar parte de uma das pernas e seis meses depois teve de iniciar um tratamento de hemodiálise.

Carreira

Com quase 50 anos de carreira, o locutor teve passagens marcantes pela Rádio Minas e Divinópolis AM.

Lúcio nasceu em 4 dezembro de 1955 e começou a carreira aos 17 anos na antiga Rádio Cultura. No início, ele cobria o futebol amador.

Torcedor declarado do Guarani, ele narrou diversos momentos importantes da história do Bugre. Foi Ricardo o responsável por apelidar a casa do Alvirubro divinopolitano. O narrador inventou e popularizou o apelido “Farião” para se referir ao estádio Waldemar Teixeira de Faria.

Manifestação

O ex-presidente do Guarani, Gilson Morais, lamentou a morte do narrador. Ao Agora, ele destacou a amizade com Ricardo.

— Grande amigo Ricardo Lúcio, com certeza o teu nome é imortal vai com Deus. Além de um grande locutor, era torcedor apaixonado pelo Bugre. Chorava com as derrotas e sereno nas vitórias — lembrou.

O corpo de Ricardo Lúcio será velado no cemitério Parque da Serra, com sepultamento previsto para às 17h.

Comentários
×