Divinópolis não é contemplada com medicamentos para intubar pacientes

Prefeitura utiliza remédios substitutos para não acabar com estoque da cidade e aguarda por envio

Bruno Bueno

O governador do Estado, Romeu Zema (Novo), anunciou no último fim de semana a chegada de uma nova remessa de medicamentos para fazer a intubação de pacientes com covid-19. A aquisição de mais de 15 mil ampolas foi comemorada por várias cidades, entre elas, Divinópolis, que se encontra com o estoque de sedativos em nível não recomendável para o enfrentamento à  pandemia.

Contudo, segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), por meio da Superintendência Regional de Saúde (SRS), Divinópolis ainda não foi contemplada com a chegada dos medicamentos. 

Outras cidades

Ainda conforme informações obtidas pelo Agora, outras cidades da região receberam novos medicamentos para intubar pacientes. 

A Casa de Caridade Manoel Gonçalves de Sousa Moreira, de Itaúna, recebeu 80 ampolas de Besilato de Atracúrio. Já o Hospital de Campanha de Formiga obteve 150 ampolas de Brometo de Rocurônio. A Fundação São Carlos, de Lagoa da Prata, recebeu 300 vesículas e a Santa Casa de Misericórdia São Vicente de Paulo, localizada no município de Campo Belo, obteve 80 ampolas do mesmo medicamento.

— Estas ampolas chegaram a Minas Gerais no último sábado e são essenciais ao kit intubação para manter a sedação dos pacientes internados na rede pública de Minas Gerais. Semanalmente os hospitais informam à secretaria sobre seus estoques e aqueles que estão com quantitativos menores buscam suprir com a maior agilidade possível — informa a nota da SRS.

A Secretaria  ainda afirmou que nesta remessa serão atendidas instituições das macrorregionais Sul, Centro, Triângulo do Sul, Jequitinhonha, Leste do Sul, Sudeste e Oeste, mas não deu a previsão de quando Divinópolis entrará na lista

Prefeitura

A reportagem ainda questionou a Prefeitura sobre a situação do estoque dos medicamentos na cidade. Através da assessoria de comunicação, o Executivo respondeu o seguinte:

— O Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS) notificou o município de Divinópolis, o Estado e o Ministério Público quanto à dificuldade na aquisição dos insumos para intubação. Ainda não temos previsão de quando será restabelecido o abastecimento destes insumos. Estamos desde o final do mês de março enfrentando dificuldades na aquisição destes medicamentos.

A Prefeitura ainda afirmou que, para suprir a necessidade dos pacientes, têm utilizado medicamentos substitutos para realizar as intubações.

— O Ministério da Saúde tem confiscado todas as compras no Brasil dos sedativos convencionais do protocolos de intubação, portanto estamos utilizando medicamentos similares (substitutos). Para tanto, estamos aguardando a estratégia de distribuição, mas os pacientes estão sedados e não correm o risco de ficarem sem os medicamentos. Não houve desabastecimento. A sedação está sendo utilizada desde a segunda quinzena do mês de março de 2021 após aprovação do médico diretor técnico da unidade, devido ao desabastecimento do mercado nacional de insumos para intubação — informou.

 



Comentários
×