Divinópolis mantém geração de emprego e Brasil fecha vagas

Pablo Santos

 

Divinópolis segue gerando emprego, ao contrário do Brasil, com corte de oportunidades de trabalho em novembro. Dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) revelam a abertura de 31 vagas no mês passado na cidade. O resultado é melhor na comparação com o mesmo período do ano passado, quando o resultado foi ligeiramente negativo. Agora, setor de serviços e comércio tiveram saldo positivo, enquanto a indústria e a construção civil fecharam vagas formais.

Conforme os dados do MTE, foram contratados no município 1.928 trabalhadores e dispensados 1.897, ou seja, foram abertas 31 oportunidadescom carteira assinada na cidade. A quantidade de oportunidades criadas é melhor em relação ao ano passado, quando foi encerrado no mês uma vaga formal, de acordo com os dados do Ministério do Trabalho.

No acumulado deste ano, a cidade abriu 639 vagas formais de emprego.  O desempenho de 2017até o momento é superior ao mesmo intervalo de 2016, quando a cidade fechou 347 vagas formais, de acordo com os dados do Ministério do Trabalho.

 

Setor

 

O setor de serviços abriu 115 oportunidades formais em novembro e obteve o melhor resultado entre os segmentos na cidade. Já o comércio criou 59 vagas de trabalho formal no mês passado.

Em contrapartida, a construção civil foi o setor com maior volume de vagas encerradas em novembro: 99.  Na sequência, aparece a indústria da transformação, com 45 oportunidades fechadas no mês passado em Divinópolis.

 

Brasil

 

O saldo de empregos formais no Brasil em novembro ficou negativo, com redução de 12.292 vagas. Em relação a outubro, houve redução de 0,03%.

O resultado de novembro considera 1.111.798 de admissões contra 1.124.090 de desligamentos. No acumulado do ano, o saldo é de 299.635 empregos, com expansão de 0,78% em relação a dezembro de 2016.

Nos últimos 12 meses, o saldo é negativo, com redução de 178.528 postos de trabalho, uma retração de 0,46%.

Em novembro, o comércio foi o único setor que registrou saldo positivo (tanto atacadista quanto varejista), com a criação de mais de 68 mil vagas.

A indústria de transformação registrou saldo negativo de 29.006 empregos. A construção civil reduziu 22.826 oportunidades. No setor da agropecuária, foram menos 21.761 vagas e, no de serviços, menos 2.972 vagas.

 

Comentários
×