Divinópolis inicia semana com mais mortes

Outras duas ocorrências ainda estão em análise; cidade ultrapassou 500 casos confirmados

Matheus Augusto

Sem novas flexibilizações e mais duas mortes. Assim Divinópolis iniciou mais uma semana frente à pandemia causada pelo coronavírus. Os óbitos ocorreram no mesmo dia e no mesmo local, na última semana. O cenário pode ser ainda pior, pois outras duas mortes ainda estão em investigação. A cidade chegou ontem a 501 casos confirmados da doença. Um certo alívio é que a taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) por pacientes com covid está em 31,9%

Minas Consciente

A decisão do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), após decisão favorável do Tribunal de Justiça (TJMG), ainda continua gerando discussões nos municípios. A determinação obriga os municípios que não aderiram ao “Minas Consciente” a manterem o isolamento, com o funcionamento apenas de atividades consideradas essenciais. A Prefeitura, no início da semana, informou que aguarda um posicionamento da Superintendência Regional de Saúde (SRS) sobre os possíveis impactos da adesão ao programa estadual.

Questionada novamente ontem, a Prefeitura informou que não houve mudanças na situação e, por isso, não há definição sobre uma possível adesão ao programa. A Secretaria Regional de Saúde informou que as dúvidas do Município foram respondidas pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

As cidades da Macrorregião Oeste que aderiram ao programa foram: Araújos, Córrego Danta e Santo Antônio do Monte.

Mineiros 

Para esclarecer as dúvidas dos gestores, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, se reuniu nesta segunda-feira, 13, com o procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet. Julvan diz reconhecer a importância da decisão para conter o avanço da doença em algumas regiões do estado, mas vê injustiça com os municípios, principalmente os menos populosos, onde a incidência é baixa.

— A uniformização das ações é a medida correta, porém, no momento errado. Ela tinha que ter sido feita no início da pandemia. Agora cada município se adequou à sua realidade do momento — afirmou na última semana. 

Essa é, inclusive, a justificativa dada pelo secretário de Saúde, Amarildo Sousa, para o município, em vez de adotar o “Minas Consciente”, criar uma matriz própria. Na época, o líder da pasta disse que Divinópolis, por ter sido a primeira cidade a registrar um caso confirmado no estado, precisou se adiantar e criar normas com agilidade.

Durante o encontro, o procurador-geral falou sobre a importância de criar uma jurisprudência legal para a situação.

— Nossa intenção não é punir os gestores municipais, mas dialogar e trabalhar ao lado deles, orientando-os na busca pelas melhores soluções, tendo como principal meta garantir a saúde da população. Quando, infelizmente, se não obtivermos sucesso nesses entendimentos, caberão as medidas administrativas e judiciais pertinentes a cada caso — explicou Antônio Sérgio Tonet.

O presidente da AMM também levantou a necessidade de que sejam feitos alguns ajustes nas deliberações nº 17 e nº 39 do governo para que a normativa estadual passe a observar o nível de incidência da pandemia nas diferentes regiões para fins de flexibilização.

Conforme explicou a associação na última semana, “a decisão judicial em questão não invalida os decretos municipais, mas apenas suspende a eficácia de decisões judiciais que tenham porventura afastado a validade dos instrumentos normativos estaduais”. Ou seja, as normas estaduais não se sobrepõem às regras municipais, tendo em vista que os três níveis são autônomos e independentes.

Dia fatal

A 17ª morte por covid-19 foi confirmada na última terça, 14. O homem, de 68 anos, com comorbidades (portador de câncer no pulmão), morreu na última sexta-feira, 10, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde estava hospitalizado desde 3 de julho.

A morte seguinte, de uma mulher, de 78 anos, portadora de diabetes, doença renal crônica e Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), também ocorreu na mesma unidade. Ela foi internada no dia 3 deste mês e também morreu no dia 10.

Responsabilidade individual

Diante das mortes, a Secretaria voltou a reforçar o papel dos cidadãos em evitarem a disseminação e contaminação do vírus.

— (...) a população precisa fazer sua parte. O nosso índice de infecção por 100 mil habitantes está em 205,26 e nossa taxa de adesão ao isolamento em 35%. Isso significa que as pessoas não estão aderindo ao isolamento social e a contaminação está só crescendo. Pedimos mais consciência, se não com a própria vida, que seja com a do próximo — pediu Amarildo.

Mais uma

Para ajudar no combate à pandemia, a Secretaria de Assistência Social (Semas) anunciou ontem a instalação, em parceria com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), de totens com água potável em oito pontos de “alta concentração de pessoas” na cidade. São eles: as praças do Santuário, da Catedral, Candidés, do Afonso Pena, esquina da 1º de Junho com João Notini, São Paulo com 1º de Junho, São Paulo com Getúlio Vargas e na avenida Antônio Olímpio de Morais com Goiás.

O projeto “Mãos Limpas” faz parte do plano de enfrentamento à covid, explicou o responsável pelo órgão, Juliano Prado.

— A secretaria estudou cautelosamente e a nossa intenção é de ampliar esses locais para dar acesso à população de água canalizada, tanto para a população de rua quanto para quem está passando. Pedimos a população que cuide com carinho e ajude a preservar as estruturas, desta forma, as pessoas poderão usufruir da iniciativa por muito tempo — destacou.

Comentários
×