Divinópolis foi o único polo a fechar vagas em Minas

 

Pablo Santos

Dos cincos principais polos da confecção de Minas Gerais, apenas Divinópolis registrou corte de oportunidades de emprego no setor, no primeiro mês do ano. Os dados do Ministério da Economia e do Núcleo de Pesquisa do Vestuário (Nupev) do Cefet também confirmam corte de vagas no ano passado, no entanto, o volume desacelerou.

Em janeiro de 2019, foram encerradas, no polo confeccionista, 11 vagas de emprego em Divinópolis. Somente a “Cidade do Divino” atingiu saldo negativo.

Já a cidade de Juiz de Fora foi o polo com maior geração de empregos entre os cinco municípios. A cidade da Zona da Mata abriu 62 oportunidades no primeiro mês do ano, apontam os dados do Ministério da Economia.

Belo Horizonte ficou na segunda posição com criação de 57 vagas de trabalho no setor confeccionista.

Outra cidade da Zona da Mata também registrou saldo positivo no emprego. Muriaé gerou 12 postos de trabalho no primeiro mês do ano.

2018

A criação de empregos nos polos confeccionistas de Divinópolis, Formiga, Muriaé, Juiz de Fora e Belo Horizonte em 2018 fechou negativo. Apesar da queda, Divinópolis foi o polo com a menor perda de vagas.

— Todos os municípios terminaram 2018 com saldo de empregos negativo. O polo confeccionista de Juiz de Fora foi o mais prejudicado no ano passado com a perda de 447 empregos, enquanto em Divinópolis houve saldo negativo de 18 empregos no período de janeiro a dezembro de 2018 – destacou a nota do Nupev.

Dos últimos sete anos, 2018 foi o melhor, apesar dos cortes de vagas em Divinópolis no setor confeccionista. Em 2017, foi registrado o pior resultado, com 606 postos de trabalhos finalizados na cidade. Já em 2015, a cidade encerrou 585 vagas.  Em 2016, foram 387 vagas finalizadas no polo da cidade.

 

Comentários
×