Divinópolis fecha o ano com saldo positivo em aberturas de empresas

Segmentos que mais contribuíram foram o comércio varejista, cabeleireiros, manicures e pedicures

Da Redação 

O ano de 2020 foi de grandes desafios, afinal, a pandemia do novo coronavírus ameaçou e ainda ameaça a saúde das pessoas e a sobrevivência do comércio e das empresas. 

Em Divinópolis não tem sido diferente. Neste sentido, o primeiro semestre de 2020 é para ser esquecido, especialmente pelos empresários do segmento do comércio e prestadores de serviços. Mesmo depois da adoção de várias medidas como as flexibilizações e a entrada de Divinópolis no Minas Consciente, muitas empresas fecharam as portas no decorrer do ano. 

Dados da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg) apontam que ocorreram mais de 300 fechamentos de empresas na cidade e houve um aumento de 30% no número de encerramento de atividades só no primeiro semestre, se comparado ao mesmo período do ano passado.  

Neste período, de janeiro a junho, 340 empresas de diversos segmentos fecharam suas portas. Somente no mês de abril, o aumento chegou a 81%.

Um dos setores mais atingidos foi o de prestação de serviços.  

Recuperação

O segundo semestre foi de franca recuperação para Divinópolis, em relação aos números apresentados nos seis primeiros meses. E, segundo dados da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), neste ano, novembro foi o mês com o maior número de abertura de empreendimentos, 82, e o menor número de fechamento, 41, com os números mostrando 58% de crescimento de novas empresas e 36% de queda no fechamento. Setembro, outubro e novembro, conforme o estudo, foram os meses de crescimento consecutivos em relação à abertura de empresas.

De janeiro a novembro, ainda segundo dados da Jucemg, a cidade registrou 629 empresas extintas contra 668 abertas, resultando em um saldo positivo de 39 novas empresas. 

— O empreendedorismo é com certeza o sonho de muitos e, em meio à pandemia e o alto índice de desemprego, este fator foi de fundamental importância para o crescimento de novas empresas na cidade. É que muitas pessoas que perderam seu emprego, sem ter recolocação no mercado de trabalho, e abriram seus próprios negócios. Posição que eu avalio como positiva, sendo o empreendedorismo a mola mestra para impulsionar uma nova fonte de geração de renda — avaliou a presidente da Associação Comercial e Industrial de Divinópolis (Acid), Alexandra Galvão.    

De acordo com dados, os segmentos que mais contribuíram para abertura de novos negócios na cidade foram comércio varejista, cabeleireiros, manicures e pedicures e promoção de vendas. 

Comentários
×