Divinópolis está entre as campeãs de ligações ao Disque Denúncia no interior

Rafael Camargos

Completando dez anos de funcionamento o Disque Denúncia Unificado (DDU), o conhecido 181, recebeu 13.271 ligações em Divinópolis até ontem, 23. Foram 1.614 chamadas recebidas na central, uma média de cinco por dia.
O crescimento da participação popular pode ser percebido quando a avaliação ano a ano dos números aponta um crescimento do número de chamadas e, consequentemente, do de denúncias geradas. Em 2007, primeiro ano efetivo de funcionamento do DDU, foram registradas 40 denúncias. Somente em 2017, foram 1.614.

De acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), Divinópolis aparece na lista das cidades do interior que mais recebem denúncias, junto com Ipatinga e Montes Claros.

 Números 

Na década, o número de denúncias aumentou consideravelmente.  Em 2007 foram 40 chamadas; 2008, 89; 2009, 589; e, em 2010, o número passou de mil ligações, marcando 1.052; já em 2011 foram 1.367; 2012, 1.770; 2013, 1.533; 2014, 1.770; 2015, 1.544; 2016, 1.544.

 Ranking de denúncias 

Segundo a Sesp, o tráfico de drogas é disparado a maior ocorrência denunciada pela população. Em Minas foram mais de 450 mil denúncias, representando 61% da motivação de todas as chamadas direcionadas ao 181 em uma década. Em segundo lugar estão denúncias ligadas a atividades de bombeiros (vistorias de fiscalização, em sua grande maioria), seguida por jogos de azar e, depois, os crimes ambientais. Também entram no ranking denúncias sobre homicídios, pessoas foragidas e procuradas pela Justiça, maus tratos a animais, receptação, desmanche, comércio ilegal, entre outros.

Denúncias em 2017 

De janeiro a outubro de 2017 foram 66.148 denúncias. Deste total, 43.437 são relativas a tráfico de drogas. Nestes dez meses foram mais de 28 mil pessoas conduzidas, presas, apreendidas e ou recapturadas por meio de informações recebidas via denúncias. Além disso, foram apreendidas 1.347 balanças de precisão; 2.372 armas de fogo; 20.431 munições e 4.913 animais silvestres.

Este ano, o tráfico de drogas também lidera o ranking de naturezas de denúncias. Atividades de bombeiros, jogos de azar e crime ambiental seguem respectivamente como as outras naturezas mais denunciadas.

 Sigilo Absoluto 

Com o slogan “O importante é o que você diz, não quem você é”, o DDU busca aprimorar constantemente o serviço para garantir ao cidadão que as informações repassadas aos atendentes sejam trabalhadas de forma eficiente e qualificada. As ligações são criptografadas, garantindo o sigilo do denunciante.

Quando o telefone chama na central, o tempo médio de espera do denunciante é de 20 segundos. Ao ser atendido, quem faz a denúncia recebe uma senha para acompanhar o andamento das investigações. As informações repassadas a um dos atendentes são registradas e encaminhadas para analistas das polícias, Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros. Esses servidores analisam, classificam e incorporam à denúncia outras informações, quando já existentes em bancos de dados dessas instituições, que também auxiliam na solução do caso.

 Não devem ser registrados 

O 181 Disque Denúncia não oferece resposta imediata, já que existe um prazo de 90 dias para apurar e responder a denúncia apresentada. Quando o cidadão precisar de uma resposta rápida, como em casos de flagrante, por exemplo, deve entra em contato direto com as corporações: Polícia Militar (190), Polícia Civil (197) e Corpo de Bombeiros (193).

As denúncias específicas de violência contra idosos, mulheres e pessoas com deficiência também não devem ser feitas pelo 181, mas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 1119). Um serviço gratuito, sigiloso, que também recebe ligações de todo o Estado e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.

 

Comentários
×