Divinópolis entra no mapa do turismo

Inclusão ocorreu depois de luta do Executivo com apoio do Legislativo

Jorge Guimarães   

Agora é fato. Divinópolis entrou no mapa do turismo de Minas Gerais, que quase dobrou de tamanho.  

No cenário político local o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico do governo Galileu (PMDB), José Alonso Dias, afirma que corre atrás de projetos para o desenvolvimento do município. Um deles é o do turismo. 

Ele explica que desde que assumiu a pasta, lutou lutando em várias frentes e uma delas é a do turismo sustentável. Ele revela que no começo do ano se reuniu com o prefeito Galileu Machado (PMDB) e o deputado federal Newton Cardoso Júnior, do mesmo partido. O secretário diz ter solicitado ao deputado uma verba de R$ 6 milhões para implantar a infraestrutura necessária para que Divinópolis receba a Cruz de Todos os Povos. Mas, para isso, segundo ele, a cidade teria de ser credenciada a receber verbas para o turismo junto ao Ministério do Turismo e isso que aconteceu.  

Verba  

Após todos os trâmites legais, o valor foi disponibilizado ao Município. Faltava o credenciamento junto ao órgão federal.  

— Na última q quarta-feira o Ministério do Turismo divulgou um novo mapa do turismo brasileiro. Divinópolis foi inclusa. Nesta luta vale ressaltar o empenho da minha secretária, Nayara Aparecida Coelho; da vereadora Janete Aparecida (PSD) e dos demais vereadores — detalhou o secretário. 

Trabalho 

Com o credenciamento da cidade junto ao Ministério do Turismo, a próxima meta é seguir os trâmites legais para que a verba de R$ 6 milhões seja liberada para começo das obras 

— Com a liberação da verba, daremos início, ainda neste ano, às obras de infraestrutura para receber a Cruz de Todos os Povos. Correndo tudo dentro do cronograma da obra, pensamos em inaugurá-la na programação do próximo aniversário de Divinópolis, em 1º de junho de 2018 – finaliza o secretário.  

Participando 

Na quarta-feira, 13, Divinópolis foi representada em Belo Horizonte por Nayara Aparecida Coelho e João Batista da Silva durante o 1º “Encontro de gestores públicos municipais de turismo de Minas Gerais”, cujo tema foi o fomento ao turismo.  

O evento foi realizado pela secretaria estadual de Turismo e faz parte da “Semana do turismo mineiro”. Cerca de 600 autoridades municipais e empresários participaram. Eles foram orientados sobre as contribuições e políticas dos governos estadual e federal ao turismo. 

Aumento  

Em comparação ao do ano passado, foram incluídos 276 municípios, passando de 279 para 555 cidades com vocação turística. Ou seja: 65% do estado tem vocação turística e os gestores querem trabalhar o setor como forma de desenvolver a economia. O número de regiões turísticas também cresceu, passando de 40 para 48 regiões em 2017. 

O levantamento completo do “Mapa do turismo brasileiro” foi divulgado nesta quinta-feira, 14, pelo Ministério do Turismo. Em todo o país foram listados 3.285 municípios em 328 regiões turísticas, um crescimento exponencial em relação ao mapa de 2016, quando foram registradas 2.175 cidades em 291 regiões. 

Conscientização  

O crescimento dos números é resultado de um amplo trabalho de conscientização do Ministério do Turismo junto aos gestores municipais e estaduais a respeito da necessidade de identificação e classificação das cidades para que as políticas públicas e investimentos sejam mais adequados à realidade de cada região. 

— O mapa é um instrumento muito importante para gestão, estruturação e promoção dos destinos. Por isso é importante que ele esteja sempre atualizado, garantindo com que os municípios que queiram trabalhar o turismo como uma atividade econômica tenham prioridade dentro das políticas e ações do Ministério do Turismo — afirmou o ministro da pasta, Marx Beltrão (PMDB). 

Atualização  

A atualização periódica do mapa faz parte de uma estratégia do plano “Brasil + Turismo”, lançado neste ano pelo ministro Marx Beltrão para fortalecer o setor de viagens no país. De acordo com o plano, a partir de 2017 o mapa passa a ser atualizado a cada dois anos.  

A construção é feita em conjunto com os interlocutores estaduais que representam o ministério e órgãos oficiais de turismo dos estados brasileiros e instâncias de governança regional. 

Categorização  

De acordo com o novo mapa nacional, 87 municípios mineiros estão nas categorias A, B e C. São aqueles que concentram o fluxo de turistas domésticos e internacionais e oferecem melhor infraestrutura. São exemplos: Belo Horizonte, Ouro Preto, Diamantina, Divinópolis, Montes Claros, Juiz de Fora, Sabará, São João del-Rei, Tiradentes, Poços de Caldas, Pirapora e Uberlândia, dentre outros.  

Os demais 468 municípios turísticos mineiros figuram nas categorias D e E. Esses destinos não possuem fluxo turístico nacional e internacional expressivo. No entanto, alguns possuem papel importante no fluxo turístico regional e precisam de apoio para a geração e formalização de empregos e estabelecimentos de hospedagem. 

Divinópolis está incluída na região denominada Circuito Verde-Trilha dos Bandeirantes”, registrada como categoria B. Na mesma região estão catalogados os municípios de Onça de Pitangui, Pará de Minas, Pequi, Pitangui e Ribeirão das Neves.   

Boa prática   

O Tribunal de Contas da União e o Senado reconhecem o “Mapa do turismo brasileiro” como um instrumento de gestão para orientar no desenvolvimento de políticas públicas regionalizadas e descentralizadas. A atualização bianual do documento se torna, portanto, fundamental para que esse instrumento seja eficaz e respeite o princípio de eficiência da administração pública. 

Comentários
×