Divinópolis é referência em contação de histórias

 

 Jorge Guimarães

Não há como resistir a uma história bem contada. Desde a antiguidade, se faz silencia para escutar uma boa história. Atualmente, a figura do contador surgiu como personagem imprescindível na transmissão da cultura. Divinópolis pode ser considerada um verdadeiro celeiro de contadores. Foi o que identificou o programa ‘Conexões Criativas’, uma iniciativa da Planeta Cultura e Sustentabilidade, por meio de da Lei Federal de Incentivo à Cultura com o patrocínio da VLI em Divinópolis.

Contação

O foco estabelecido pelo ‘Conexões Criativas’ foi justamente a arte da contação de histórias. O movimento que começa a tomar corpo e organização tem como uma das principais referências, o Grupo Encontro, criado em 2000, a partir da oficina ministrada pela contadora de histórias, educadora e terapeuta familiar Gislayne Matos, a convite da então bibliotecária municipal Nídia Fonseca. O grupo comemora 18 anos este mês de reuniões todos os meses na praça do Santuário, praça Dom Cristiano, onde crianças, jovens e adultos celebram histórias, em momentos de puro encanto.

Comemorar

No próximo domingo, 18, a partir das 10h, o ‘Encontro’ novamente se reúne para comemorar seu 10º oitavo aniversário. O ‘Conexões Criativas’ estará presente, paralelamente, promovendo o ‘Click nos Contadores’ com o registro fotográfico e audiovisual de mais de 40 contadores de histórias da cidade. Eles irão integrar o  ‘Catálogo Cidade das Histórias’, contribuindo para divulgar grupos, projetos e artistas.

Hora do Conto

Outro trabalho exemplar na cidade é ‘A Hora do Conto’, iniciativa de referência da livraria e café Boutique do Livro. Todas as semanas, o projeto comandado por Denise Arantes, cria um espaço mágico de encontro com as histórias e os livros, realizando animadas sessões de contação de histórias. Denise Arantes também une suas histórias à criação de mosaicos, uma forma de “juntar os caquinhos de vida enquanto se conta histórias”.

 

Comentários
×