Divinópolis completa cinco anos sem ataques a caixas eletrônicos

Último caso na região Centro-Oeste foi em 2019; operação deflagrada pela PM prendeu três suspeitos e apreendeu um explosivo artesanal

Bruno Bueno

As explosões de caixas eletrônicos na região, que antes pareciam quase rotineiras, estão cada vez mais raras. Segundo informações da Polícia Militar (PM), Divinópolis completou cinco anos sem registrar ocorrências de ataques a instituições financeiras, incluindo caixas eletrônicos. A última ocorrência aconteceu no dia 1º de junho de 2016. A situação também é favorável na região Centro-Oeste, que, desde o mês de março de 2019, quando um ataque foi registrado em Formiga, não registra nenhum caso.

O resultado favorável pode ser explicado pelo trabalho da Polícia Militar, que deflagrou, na manhã de ontem, a operação “Vesúvio”, que tem como objetivo realizar ações para impedir os ataques a instituições financeiras.

Destaque

Em nota divulgada, a 7ª Região da Polícia Militar (7ª RPM) destacou o trabalho da corporação no longo tempo sem ataques a instituições financeiras e caixas eletrônicos.

— Isso é resultado do trabalho preventivo e repressivo adotado pela Polícia Militar, que, de forma ininterrupta, desenvolve ações de inteligência com o monitoramento constante das principais quadrilhas identificadas no Centro- Oeste mineiro, em especial na cidade de Divinópolis — disse.

A corporação também ressaltou a constante busca nos alvos prioritários suspeitos dos crimes relacionados às explosões.

— Intensificamos a busca dos alvos prioritários, por meio de levantamento de informações, bem como a gestão pontual e oportuna de denúncias relacionadas, sendo que as últimas denúncias resultaram na deflagração desta operação — explicou.

Outras operações

Segundo o comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Erlando Ferreira da Silva, outras operações também serão realizadas na região e em todo o estado.

—  A operação “Vesúvio” foi executada de forma específica em Divinópolis, com efetivo da 7ª Região da Polícia Militar e também do batalhão de Operações Especiais. Paralelamente, está sendo desenvolvida em todo o estado uma ação integrada entre a PM, Polícia Rodoviária e o comando especializado, abordando veículos em rodovias, com o objetivo de impedir o tráfico de drogas, armas e conter pessoas suspeitas — informou.

Presença

A operação Vesúvio contou com a presença de 48 policiais militares da 7ª RPM, 23º BPM, 7ª Companhia Independente de Policiamento Especializado, Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), 7ª Companhia de Polícia Militar Rodoviária, além do apoio de uma aeronave do Comando de Aviação do Estado (Comave). 

— Esta ação faz parte da operação “Cannes Pacem Viarum”, deflagrada pela Polícia Militar em todo o estado, com o apoio da Polícia Militar Rodoviária e do Canil. O combate ao tráfico de drogas também foi realizado — disse a PM em nota divulgada.

Resultados

Ainda segundo a PM, a operação obteve importantes resultados. Três alvos prioritários suspeitos de envolvimento com ataques a instituições financeiras foram presos ‒ dois de Divinópolis, que foram detidos com uma moto roubada e um explosivo de metalon, e outro em Nova Serrana, que estava com mandado de prisão em aberto.

O explosivo artesanal metalon, utilizado para explosões em caixas eletrônicos, além da motocicleta foram apreendidos. A PM também encontrou 80 porções de cocaína durante a operação.

Um adolescente de 15 anos foi apreendido, porém, a Polícia Militar não informou o que ele estava portando durante a abordagem.

Recorrentes

Vale ressaltar que, em anos anteriores, os ataques a instituições financeiras, incluindo caixas eletrônicos, eram recorrentes na região. 

Em 2016, criminosos explodiram um caixa eletrônico de uma cooperativa em São Sebastião do Oeste, levando uma grande quantia em dinheiro. Além disso, segundo informações de populares à época, os suspeitos dispararam tiros em direção ao Batalhão da Polícia Militar, localizado próximo ao banco. 

No mesmo ano, um grupo criminoso invadiu um shopping em Divinópolis e explodiu alguns caixas eletrônicos localizados no primeiro piso. À época, dois jovens foram presos com mais de R$ 3 mil reais advindos do roubo.

 

Comentários
×