Divinópolis / Brasil

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a estimativa da população brasileira em julho de 2019 era de 210.147.125 pessoas e de Divinópolis 238.230 habitantes, ou seja, pouco mais de 0,1% da população do Brasil se encontra aqui. Sempre ouvi dizer que Divinópolis é um retrato fiel do Brasil. Então de certo modo, se conhecer bem a Princesinha do Oeste, tem-se uma ideia de como é esse Brasilzão. Quando se fala isso, fala-se das pessoas, pois Divinópolis tem gente de toda parte do país e do mundo; fala-se do comércio e da indústria onde se encontra empresários de várias partes do Brasil e do mundo; fala-se das residências que seguem diversos estilos de várias partes do mundo. Se o Brasil é a terra das oportunidades, Divinópolis também não é diferente. Afinal hoje ocupamos o 85º lugar no país como melhor lugar para empreender. Considerando que o país tem 5.570 municípios, não se pode ignorar que estamos com uma ótima colocação e devemos usar isso como inspiração para apostarmos mais nesta cidade, atrair investidores dispostos e gerar empregos e divisas e assim, tornar nossa cidade cada vez mais atraente. Isso não é tarefa dos políticos somente. É de todos nós!

Galileu / Bolsonaro

Mas as semelhanças não param por aí.  Galileu (MDB) e Bolsonaro (PSL)? O que têm em comum? Creio que muito pouco. Quando colocaram seus nomes à disposição dos partidos a que estavam filiados foram o que sempre foram, sem firulas, sem máscaras. Mesmo a cidade em situação de calamidade financeira, Galileu prometeu como se estivesse em poder das chaves da casa da moeda de Dubai: quatro UPAs, não sei quantas pontes, quantos bairros seriam pavimentados e isso seria só o começo. Bolsonaro usou seu vocabulário rústico, seus filhos não esconderam quem eram e como agiam. Enfim, tanto Galileu quanto Bolsonaro foram transparentes. Aí apareceram os interessados em surfar na onda e assim garantir um lugar no parlamento. Sem a força de Galileu e de Bolsonaro podemos acreditar que a composição da Câmara Municipal de Divinópolis e do Congresso Nacional seria outra.

Lealdade I

Existem três coisas que devem existir em qualquer relação, seja ela casamento, trabalho, crime ou partido político: foco, lealdade, lealdade e transparência entre os membros e foco. Sem isso, o insucesso é garantido. Que a oposição ataque Galileu é de se esperar, mas pedido de impeachment partindo de dentro do próprio partido? E ainda de um recém-chegado? A primeira coisa que deveria ter feito é pedido a desfiliação do partido. No mínimo, era o que se esperava. No meu falível sentir, se entendeu que havia uma postura inadequada do prefeito, em nome da lealdade que deve haver em qualquer associação, provocasse uma reunião do partido. Deixo claro que não defendo aqui conchavos ou coisa parecida, mas sim que fosse dado ao prefeito a oportunidade de se explicar dentro do seu grupo político, podendo ser resolvido sem gastos e desgaste públicos.  Se restasse provado que o prefeito estava errado, obrigação legal e moral de se desfiliar, caso o partido insistisse em permanecer com o prefeito mesmo estando errado e pedir o impeachment em clara demonstração de oposição responsável. Mas do jeito que foi feito, só tenho uma pergunta: cadê o comando do MDB?

Lealdade II

Quanto a esfera federal, Joice Hasselmann (PSL) perdeu a liderança do governo na Câmara Federal e, com isso, toda a ostentação (dezenas de assessores, secretários, motoristas e muitos outros luxos). Agora ela diz que tem muita coisa para contar. O mesmo se pode dizer de Alexandre Frota (PSDB).  Se é criminoso o que têm para contar, os senhores são cúmplices. E não contaram antes por quê? O que receberam em troca? O povo quer saber. E o mesmo digo de outros que estão cantando na mesma cartilha. Cúmplices é que são!

Ulisses Guimarães

Um dos maiores nomes do PMDB, hoje MDB, e um dos maiores nomes da política brasileira nos últimos 50 anos, disse um dia: “em política até a briga é ensaiada”. Ele se envergonharia de ver como é hoje. Seja lá em qual esfera do parlamento, a maior parte do tempo só se vê ofensas e nada mais. É vergonhoso! Quero ver todos esses que se valem de seu mandato para atacar desafetos, se fora dos limites da imunidade parlamentar teriam 1/10 da coragem que demonstram ter quando protegido pela impunidade, opps, imunidade. Repetindo: é “prá lamentar.”

Motoristas de aplicativo

Vergonhosa a situação em que foram colocados os motoristas de aplicativos em Divinópolis. Livre iniciativa parece ser ofensa na terra do Divino. E mais absurdo ainda, o cidadão pode ter um taxista de confiança, mas não pode ter um motorista de aplicativo de confiança, pois não pode chamar no particular. Imagine, nesse tempo em que a criminalidade impera, o cidadão não pode pagar mais barato se quer que seu filho seja transportado em segurança por um conhecido seu que é motorista de aplicativo. Nada contra os taxistas, só entendo que há campo para todos. Ei, isso pode nos tirar o 85º lugar como melhor lugar do país para investir. Precisamos nos aproximar cada vez mais dos melhores, e não nos distanciar. Pensem! Não ajam como a Kodak que deixou o medo tomar conta e não investiu no novo (foi a primeira empresa a quem foi apresentada a câmara digital e simplesmente olhou com desprezo). Acorde Divinópolis, enquanto há tempo.

Comentários
×