Divinópolis adere ao clima de promoções

Jorge Guimarães 

A cidade amanheceu em clima de Black Friday e a movimentação no hipercentro da cidade foi intensa. Além das grandes lojas das redes nacionais de varejo especializadas em eletrodomésticos, até as de farmácia, lojas de móveis, agências de viagens e sanduíches entraram no clima dos descontos. 

A partir das 5h, a fila já era enorme, na porta de uma filial de uma grande rede nacional do segmento de varejo, que abriu suas portas às 6h. Por todo o dia, a movimentação de consumidores congestionava a entrada da loja e atrapalhava até os pedestres no passeio. E pelo visto, muitas lojas vão aproveitar e esticar a Black Friday por todo fim de semana. 

Quem lucra também são os camelôs, que, com sua promoção à parte, vendem suas mercadorias em meio à correria da principal avenida da cidade, a 1º de Junho. 

Natal  

Para garantir as compras, a aposentada Rosa da Costa chegou exatamente na hora em que a loja estava sendo aberta. Ela contou que mesmo assim, muitos dos itens que ela iria levar já não tinham mais. 

— Se for aquele preço que eu vi, vou comprar. Se não, sem chance. Mas estou levando alguns presentes já pensando no Natal — disse.  

Em outra loja, consumidores como Juliana Nunes encheram os corredores. Ela queria adiantar os presentes de Natal e adquiriu um smartphone e um tablet.  

— Estou aproveitando os preços e está compensando. Assim, adianto o meu Natal e do meu filho, pois dinheiro na mão é vendaval — brincou a dona de casa. 

Vendas 

Pelo Centro também se via lojas de roupas e calçados que também aderiram ao dia de promoções, uma oportunidade de aquecer as vendas.  

— Temos uma estimativa de crescimento em torno dos 10% e a gente tem buscado isso porque, mesmo em tempos de crise, o cliente quer uma oportunidade — avaliou o empresário Dalmo Vasconcelos. 

Procon 

Já que muitas lojas devem prolongar a Black Friday, o Procon Municipal dão algumas orientações aos consumidores.  Segundo o órgão, os clientes precisam tomar cuidado antes de ir às compras e ficar atendo a forte campanha publicitária oferecendo descontos, aparentemente irresistíveis. 

O gerente do Procon, Ulisses Damas Couto, alerta para a prática da maquiagem de preços.  

— É fundamental o consumidor estar atento, algumas empresas aumentam previamente o valor dos produtos para oferecer um desconto artificial no dia da campanha, prática considerada publicidade enganosa — destacou. 

Na sua visão, é essencial que o consumidor não se deixe convencer pelas campanhas de marketing e limite suas compras àquilo que realmente necessita, evitando compras por impulso. 

— A melhor maneira de conferir se o desconto é real, ou seja, que o produto ou serviço realmente está com preço mais baixo que aquele anteriormente ofertado, é monitorar previamente o preço e no dia do evento fazer pesquisa de preço em várias lojas ou sites de e-commerce. Para ajudar nesta pesquisa, vários aplicativos gratuitos para smartphones e computadores podem fazer este monitoramento, mostrando a evolução do preço nos últimos seis meses, inclusive— sintetizou Ulisses. 

Comentários
×