Divinópolis: 71% já completaram esquema vacinal

Ocupação hospitalar voltou a subir

Da Redação

Divinópolis está abaixo da média estadual de imunização completa. Enquanto em Minas Gerais 85% da população já tomou as duas doses, em Divinópolis, apenas 71% concluiu o esquema vacinal. A Secretaria de Saúde (Semusa) atualizou ontem os dados na cidade. No total, foram aplicadas 403.921 doses: 184.860 da primeira dose, 172.525 da segunda e 6.073 doses únicas. Além disso, mais de 40 mil divinopolitanos já receberam o reforço. A cidade permanece com 661 mortes pela doença apenas uma em dezembro, o menor número deste ano. 

 

Internações

Nos hospitais, a semana foi de aumento no índice de ocupação. Atualmente, 17 pessoas estão internadas nos 40 leitos disponíveis de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) exclusivos para pacientes com covid-19, o que representa 42,5%. 

No Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD), oito pacientes estão internados no CTI adulto e seis no CTI infantil na área do Sistema Único de Saúde (SUS), além de dois pacientes no CTI adulto no setor particular. No Hospital Santa Mônica, há apenas uma internação. Os hospitais Santa Lúcia e São Judas não têm hospitalizações por covid.

 

Estado

Em Minas, 85% da população já tomou as duas doses; outros 15%, inclusive, já receberam a dose de reforço. O próximo passo, reafirmou o secretário de Estado de Saúde (SES-MG), Fábio Baccheretti, é o início da imunização de crianças com idade entre 5 a 11 anos, previsto para janeiro.

— Já existe uma sinalização do Ministério da Saúde de que o envio das doses iniciará no próximo mês — afirmou. 

 

Conforme anunciado previamente, em Minas Gerais, ao contrário do previsto pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não será exigido receita médica para essa faixa etária, apenas a presença de um responsável no local.

— Não haverá a exigência da prescrição médica. O público infantil será tratado como os diversos públicos dentro do Programa Nacional de Imunizações (PNI) — reforçou. 

 

Ômicron

Minas Gerais já registrou 130 casos da nova variante Ômicron, sendo que 85 são em Belo Horizonte. O secretário explicou que, hoje, o vírus que mais circula no estado é o da Influenza A H3N2. 

— Não existe um surto de gripe em Minas Gerais, uma vez que 85% do público-alvo foi vacinado. Acreditamos que este cenário deve mudar com a maior circulação da Ômicron — detalhou. 

 

Para a celebração da virada do ano, o momento, alerta o secretário, é de “cuidados redobrados”. 

— Não é o momento de relaxarmos. A população deve continuar usando máscaras, evitar aglomerações e realizar a higienização das mãos corretamente — orienta.

 

Nos últimos 14 dias, a taxa de incidência caiu 4%. No entanto, considerando a última semana, o índice subiu 40%, conforme dados do Comitê Extraordinário Covid-19. Já as solicitações por internação tiveram redução de 15%.

 

Comentários
×