Divinópolis/2021

Da Redação 

O candidato Gleidson Azevedo, nascido sob o signo de áries (15/04/1982), foi eleito prefeito de Divinópolis. Destaco que ele é pertencente ao mesmo signo do presidente Bolsonaro e estamos sob o reinado anual de leão (signo igualmente de fogo). As cartas astrológicas não mentem jamais e o fogo brilha e aquece em Divinópolis. Portador de personalidade contundente, terá inúmeros inimigos e achará maravilhoso demonstrar sua força e brilho. Acontece que política é a arte de convencer pelo diálogo, e não pela força. A força enfraquece, segundo Maquiavel, e a sabedoria é própria dos homens que permanecem no poder.

A partir  de agora, o excelentíssimo senhor prefeito, Gleidson, passa a ser vidraça e sentirá a força da oposição. O toma lá dá cá, ao qual Bolsonaro jurava não ceder,

podemos constatar o centrão o fez mudar de ideia por apoios no Congresso. O mercantilismo municipal é um câncer que dói, desde tempos imemoriais, e a promessa de "só contra o império" prevalecerá? Pagaremos para ver. Analisemos friamente: os vereadores são legisladores e fiscais  do Poder Executivo.

Os projetos do Executivo serão aprovados (ou não) pela maioria da Casa Legislativa. A oposição cumprirá seu papel e o grupo da situação vai defender o Executivo sem o afago dos cargos. Os partidos que apoiaram o candidato eleito, bem como seus apoiadores mais eufóricos, querem "filhos, após o amor"...

Todos que votaram em Gleidson querem  a recompensa direta ou indiretamente (isso é fato). A vice-prefeita, Janete Aparecida, fica em "saia curta", pois, conhecedora dos bastidores da Câmara, sabe como funciona na prática e não poderá contrariar o chefe. Quanto aos cargos comissionados serem preenchidos por meio de concurso, isso é impraticável politicamente, pois inimigos ferrenhos serão atraídos pela rede que busca peixes grandes. Técnico novato não possui prática e não saberá jogar o xadrez diário. Quem cair de paraquedas será ridicularizado e terá que se humilhar para os pequenos servidores. Por outro lado, os políticos em outras esferas, que vierem a apoiar o Executivo, não amam, mas negociam, ainda que ocultamente. Desejo sucesso ao prefeito eleito, mas ele tem muito a aprender.

Duvido que ele é mais honesto que Abraão Lincoln, que chamou seu ferrenho adversário para auxiliá-lo. Precisamos até dos inimigos, quanto mais dos amigos.

Devo alertá-lo sobre o "fogo amigo". Obviamente, ele é o mais ardente. Amigos não aceitam ingratidão e fica claro que, sem os amigos, jamais Gleidson seria eleito. Finalizo citando a famosa máxima de Confúcio: "É melhor acender uma vela do que  amaldiçoar a escuridão!".

Boa sorte!

jocarramos@gmail.com

Comentários
×