Dívida milionária com ex-gestora de aeroporto ainda é negociada

 

 

Ricardo Welbert

 Ontem fez um mês que a empresa Socicam abriu mão da gestão do aeroporto Brigadeiro Cabral, em Divinópolis, alegando atrasos em pagamentos pela Prefeitura. Conforme o Agora apurou, a dívida de R$ 2,5 milhões ainda é negociada.

Desde então, a cidade continua sem os voos regulares da Azul Linhas Aéreas que partiam com destino ao Aeroporto Internacional de Campinas, em São Paulo. Consumidores que já estavam com passagens compradas ou que planejavam viajar reclamaram.

A Azul informou que reacomodou os clientes de Divinópolis para irem por via terrestre até o aeroporto de Confins, em Belo Horizonte. A companhia afirmou ainda que aguarda o fim do impasse na gestão do terminal para retomar a conexão.

Sem o fluxo diário de embarques e desembarques, o governo de Divinópolis entregou o comando do aeroporto à Empresa Municipal de Obras Públicas (Emop). Essa troca de gestão ocorreu no dia 7 de abril.

O Agora apurou que sete servidores da Emop trabalham atualmente no aeroporto. De acordo com o diretor da Emop, Antônio Eustáquio da Costa, essa equipe é responsável pelo gerenciamento de voos domésticos, pelos serviços de pouso e decolagem e pela manutenção, conservação e vigilância.

 Medidas 

Desde que o problema começou, a Prefeitura informou diversas estratégias adotadas para resolvê-lo. Dentre elas, esteve o estudo de uma nova licitação para escolher outra empresa com preços mais adequados à capacidade financeira do município para assumir o aeroporto.

No dia 5 de maio, o prefeito Galileu Machado (MDB) se reuniu em Brasília com o presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Antônio Claret. Nenhuma dessas medidas resultou no restabelecimento dos serviços interrompidos.

 

Comentários
×