Disputa por ponto de tráfico é principal causa de assassinato em Divinópolis

Rafael Camargos

Os dois últimos assassinatos registrados em Divinópolis comprovam uma análise feita pelas policias Militar e Civil. O tráfico e as dívidas por conta da prática criminosa são os principais responsáveis por grande parte dos crimes que ocorrem na cidade. Somando 55 homicídios até o momento, o crescimento já é de 25% se comparado com todo ano passado, que de janeiro a dezembro, somou 44 assassinatos.

Os homicídios coincidem com as áreas onde ocorre a maior incidência de tráfico de drogas, até mesmo porque a motivação principal é a disputa pelo espaço. Com maior predominância nos bairros: Porto Velho, Interlagos, Niterói, Planalto, Davanuse e outros, o trabalho operacional e de investigação segue insistentemente nestes locais.

O objetivo principal é capturar os responsáveis pela venda de entorpecentes, e tentar minimizar o impacto que a modalidade criminosa traz para a sociedade.

Grande parte

Segundo o comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar (BPM) tenente-coronel Marcelo Augusto dos Santos, 80% das mortes da cidade têm relação com alguma modalidade criminosa. Ele explica que a em é o tráfico de drogas.

— A via de regra é que o envolvimento esteja ligado a indivíduos com antecedentes criminais. Esse último rapaz, por exemplo, estava traficando e o pai dele apontou alguns dos suspeitos — comentou.

Já o titular da Delegacia de Homicídios, Vivalde Levilesse, explica que a Polícia Civil trabalha com atividades repressivas e de investigação nestes locais de maior incidência.  Ele revela que nos últimos meses foram efetuadas duas prisões de envolvidos com o tráfico e apreendidos 30 kg em entorpecentes.

— Efetuamos a prisão de duas pessoas com esta quantidade de drogas. Operações abordaram este e outros diversos casos. Temos desenvolvido trabalhos nos bairros mais afetados pelo tráfico de drogas com atividades repressivas e de investigações — comentou.

O delegado explica ainda que as investigações do homicídio do fim de semana começaram ontem e prosseguem.

 — Os investigadores estão realizando diligências para que possamos encontrar alguma informação. Inclusive um familiar tem um suspeito, mas por enquanto, é só um suspeito. O rapaz possuía envolvimento com tráfico, principalmente no bairro Belvedere — confirmou o que disse a PM, anteriormente.

Sobre o caso da semana passada, o delegado adiantou que as investigações estão bastante adiantadas. Ele trabalha inclusive com alguns suspeitos do crime.

Casos

Um jovem de 21 anos morreu depois de ser atingido por disparos de arma de fogo na madrugada de domingo, 26. Vinicius Alves Ribeiro foi morto no quintal de casa.

De acordo com a Polícia Militar, a viatura foi acionada na rua Caracas, depois que o pai ouviu disparos. Segundo o relato, ele ouviu passos de pessoas correndo no quintal e pulando o muro. Como o portão estava trancado, o pai saiu para verificar e encontrou o filho morto no chão.

O perito constatou pelo menos três perfurações. Além das marcas de tiros, a vítima ainda pode ter sido esfaqueada.

Tráfico

Para a polícia, o pai da vítima disse que o filho traficava e sempre estava em companhia de pessoas suspeitas.

Dias antes

Seis dias antes, um jovem de 19 anos foi morto a tiros. Na noite de quarta-feira, 22, militares encontraram André Gomes de Oliveira, 19 anos, na rua Gustavo Machado, no bairro Interlagos.  Ele estava caído no chão, com várias perfurações pelo corpo, já sem vida. Segundo a PM, a vítima  vendia drogas, quando dois homens chegaram em uma motocicleta Honda/XRE, chamaram por André e o questionaram sobre o dinheiro de tráfico.

Ainda conforme a PM, após a pergunta, um dos criminosos atirou contra a vítima dez vezes e fugiu. Durante buscas no local, foi encontrada uma pedra de crack.

Comentários
×