Disputa acirrada

Do Editorial

O ano mal começou, a posse mal aconteceu e o que se vê são os vereadores disputando nas redes sociais quem trabalha mais, quem aparece mais, quem mostra mais serviço.  As chuvas que atingiram Divinópolis no fim de semana foram o prato cheio para isso. Era vereador de canto a canto da cidade mostrando para o povo o que tinha acontecido, o que ele tinha pedido, seja para a Copasa ou para a Cemig, em seu #gabinetederua. Tudo seria muito lindo, se o inferno não estivesse lotado de boas intenções. Sim! O que importa saber dessa enxovalhada de gravações é se é trabalho, ou se é apenas marketing político. Resta saber o que acontece quando o celular não está gravando; quando o assessor diz: pronto, terminou. 

O ano é novo, a legislatura e alguns vereadores também, mas, ao que tudo indica, as atitudes serão as mesmas. É como disse certa vez o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso: “o brasileiro tem memória curta”. E vamos longe: o divinopolitano é “desmemoriado”. E esta é uma infeliz verdade. É sempre preciso relembrá-los de fatos, para que eles não se repitam. Como exemplo, a onda do “Volta Ditadura”, ocorrida em 2017. Foi preciso lembrar aos brasileiros que o Brasil não era um Jardim do Éden naquela época. Foi preciso “esfregar” a história na cara do povo, para que este movimento parasse e a sanidade tomasse conta da população mais uma vez. Não há nada melhor nessa vida do que a história. 

E é justamente nessa onda de história que é bom relembrar que a última legislatura não foi lá essas coisas. Era vexame atrás de vexame, escândalo atrás de escândalo; como dizem por aí, era só “eita atrás de vixe”. Em busca do aparecer para o povo, os parlamentares fizeram coisas que até Deus duvida. Tudo pelos segundos ou minutos de fama. Trabalho mesmo, que é bom, nada! É bom que os que estão começando tomem como exemplo e se conscientizem que rede social não faz legislatura. O que o povo espera mesmo, de verdade, não são videozinhos bonitos de redes, nem discursos bonitos. O que o povo quer mesmo é fiscalização, projetos de lei que ajudem Divinópolis a se desenvolver, alinhamento com o Executivo que permitam a cidade a voltar gerar empregos, saúde, educação e infraestrutura de qualidade. 

Para que não haja dúvidas, Divinópolis não dá conta de outra legislatura como a última. Rede social não faz gestão, e a prova disso foi a votação da Mesa Diretora na sexta, 1º. Teve parlamentar que foi para as redes sociais pedir para que a população pressionasse o seu vereador a votar em determinada chapa, porém, a chapa concorrente ganhou, mostrando que uma articulação bem feita vale mais que apelo de rede social. Alguém precisa avisar aos eleitos que a campanha acabou, que agora é trabalho, e que Divinópolis precisa é de trabalho sério, e de parlamentares comprometidos com o futuro da cidade, e não com as suas métricas das redes sociais. 

2021 chegou, a nova legislatura também, e se tem uma coisa que o povo quer ver é uma disputa de medidas que consigam tirar Divinópolis do buraco. Sejam todos bem-vindos, o jogo começou!  

Comentários
×