Diretor nega suspensão geral de atendimentos na UPA

 

Rafael Camargos 

Com o pagamento do salário atrasado de setembro, o corpo Clínico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto em Divinópolis, deveria ter voltado a atender e acolher todos os tipos de casos que aparecem pedindo um diagnóstico na unidade, mas o atendimento ainda continua restrito apenas aos casos de urgência e emergência, o que não seria de todo o errado. Por isso, as pessoas que chegam ao local, e não são classificadas como casos de urgência de emergência estão sendo direcionadas para os postos de saúde.

Ainda com três meses de atraso nos pagamentos dos funcionários, faltando quitar os meses de outubro, novembro e dezembro, não é só esse problema que a UPA 24h enfrenta. Os fornecedores também estão com notas em atraso, os pacientes continuam jogados em macas nos corredores e ainda existe a falta de atendimento na atenção primária.

De acordo com o as informações apuradas, além disso, os funcionários ainda não receberam 13° salário.

— A situação está tensa. Não tem como trabalhar sem receber o que é justo. Fora isso, os corredores estão lotados, não temos segurança, falta de medicação. Não há compra mensal de material de farmácias só empréstimos para “apagar” os momentos críticos. Iremos passar o feriado com a farmácia em falta e até agora o novo superintendente não agiu — frisou um médico que trabalha na unidade.

 Novo comando 

 O ex-superintendente da UPA, José Orlando Fernandes Reis, formalizou no Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) uma denúncia dizendo que a Santa Casa de Formiga, não aplicou devidamente os recursos enviados pelo governo divinopolitano na unidade de saúde depois disso ele foi demitido e Geraldinho da Saúde assumiu a superintendência do Pronto Atendimento (UPA) no último dia 5.

De acordo com o superintendente, existe uma articulação muito positiva nestas duas semanas em que ele assumiu a unidade.

— Estamos conseguindo saldar os pagamentos em atraso, há uma interlocução muito bacana entre a Santa Casa e o governo municipal. Estamos realizando os pagamentos, de salários, o 13º será pago hoje, então o que é pertinente a nós estamos fazendo — argumentou Geraldinho da Saúde.

 Pediu para sair

 O médico Alexandre Amaral deixou de ser o provedor da Santa Casa de Formiga, ontem. O desligamento ocorreu por motivos particulares. De acordo com Geraldinho, a saída do médico não interfere na gestão da unidade de saúde.

—Todo o processo é acompanhado pelo Ministério Público, e a mesa diretora é composta por outros membros — frisou.

Denúncia   

Baseada nesta declaração do ex-superintendente, a vereadora Janete Aparecida (PSD) protocolou na Câmara o pedido de uma instauração de CPI, em 28 de novembro. Já que, segundo ela, “as coisas se tornaram mais sérias” e a Comissão poderia permitir o aprofundamento na questão.

 Por completo 

Os moradores de Divinópolis já estavam afoitos com a possível notícia de que os atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto estariam totalmente suspensos. A informação foi negada. Informação que foi negada.

 

 

 

 

Comentários
×