Dia Nacional de Combate ao Fumo alerta para malefícios do cigarro

Ana Laura Corrêa

Nesta quarta-feira, 29, é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a data tem o objetivo de reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população brasileira para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. 

— A fumaça do cigarro reúne, aproximadamente, 4,7 mil substâncias tóxicas diferentes e muitas delas são cancerígenas. O tabagismo ainda está ligado a 50 tipos de doenças como câncer de pulmão, de boca e de faringe, além de problemas cardíacos. No Brasil, 23 pessoas morrem por hora em virtude de doenças ligadas ao tabagismo. Além disso, crianças com sete anos de idade nascidas de mães que fumaram 10 ou mais cigarros por dia durante a gestação apresentam atraso no aprendizado quando comparadas a outras crianças — informa o Inca.

Divinópolis

Em Divinópolis, a Associação de Combate ao Câncer do Centro-Oeste de Minas (Acccom) tem um trabalho contínuo de antitabagismo por meio da prevenção, com palestras, orientações, informações e alertas sobre os malefícios do fumo. 

— É importante abordarmos permanentemente sobre o quanto o tabagismo é prejudicial à saúde, tanto para o fumante ativo, quanto, também, para o fumante passivo, ou seja, para quem convive com o fumante. Dizemos que o cigarro é o grande vilão do câncer, causa diversos tipos de câncer, além de causar muitas outras doenças. Consideramos o Dia Nacional de Combate ao Fumo como uma oportunidade para falarmos para a população sobre os malefícios do fumo — afirmou a enfermeira da Acccom Lilian Rodrigues.        

O tabagismo é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão. O fumo também é a causa de outros cânceres, como de cabeça e pescoço, boca, língua, assoalho e céu da boca, laringe e faringe.

— De julho de 2017 a agosto de 2018, foram atendidos 1.243 pacientes de câncer de cabeça e pescoço no Hospital do Câncer em Divinópolis. De cirurgia torácica, tivemos 404 pacientes nesse mesmo período — informou a Acccom.

Benefícios de cessar o vício

De acordo com o Inca, parar de fumar sempre vale a pena em qualquer momento da vida, mesmo que o fumante já esteja com alguma doença causada pelo cigarro, como câncer, enfisema ou derrame.

— A qualidade de vida melhora muito ao parar de fumar. Após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal. Depois de duas horas, não há mais nicotina circulando no sangue. Após oito horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza. 12 a 24 horas depois, os pulmões já funcionam melhor. Após dois dias, o olfato já percebe melhor os cheiros e o paladar já degusta melhor a comida. Depois de três semanas, a respiração se torna mais fácil e a circulação melhora. Após um ano, o risco de morte por infarto do miocárdio é reduzido à metade. Depois de 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram. E, quanto mais cedo você parar de fumar, menor o risco de adoecer — informa o Inca.

Comentários
×