Dia de definição

Grande parte do valoroso povo deste país sabe que amanhã será um dia agressivo e doloroso para esta nação se o Supremo Tribunal Federal continuar roendo a corda com a lei maior que o conduz. A preocupação é grande em todos os meios onde o assunto é tratado. Não se sabe o que acontecerá caso seis dos juízes resolverem que Lula deverá continuar fora da prisão, percorrendo o país tentando convulsioná-lo.

Para quem conhece bem o assunto denominado esquerda socialista mundial, sabe do perigoso momento. Seria um pouco irreal considerar como comunistas alguns dos ministros do STF, pois eles sabem de tudo, com certeza já leram e estudaram a respeito de socialismo e suas consequências no mundo. Assim, só resta ao país, aos seus líderes não políticos, que façam pressão por todos os meios. A bem da verdade, desde que o tribunal se reuniu e ficou um dia inteiro “se desdobrando” em decidir se seria possível aceitar um habeas corpus, somente porque partia dos advogados regiamente bem pagos pelos cofres de Lula e seus amigos, uma dúvida ficou bem clara: a intenção não é deixar Lula de fora, é sim, a de não deixá-lo ir para o xadrez.

Parece um paradoxo, mas não é. Menos de um mês, a ministra Carmem Lúcia, presidente do STF, disse que o tribunal que preside não se curvaria a esse tipo de pedido, “mas se um habeas corpus fosse impetrado ela teria que pautá-lo, e somente valeria especificamente para o caso”. É aí que reside o problema, pois uma decisão como esta abre todos os precedentes possíveis para a soltura de mais de 600 mil presos pelo país afora. Seria o caos.

Não somente a ministra, mas todos os seus colegas ou “cumpanheiros” de missão sabem disso. Por onde passa um boi, passa toda uma boiada, costumam falar os entendidos em animais. Assim, de um dia para o outro, melhor dizendo de amanhã para depois, este país pode se preparar para o pior, que virá devagar, mas virá ao longo de alguns meses, talvez um ou dois anos, se depois das eleições presidenciais em outubro outros políticos de raça e convicção no brasilianismo reformem tudo, limpem a casa, inclusive revogando leis ou decisões estapafúrdias como esta que poderá acontecer amanhã.

Ontem, uma comissão composta por iminentes juristas e toda a cúpula da Associação Nacional dos Juízes levaram ao STF um abaixo-assinado, com mais de cinco mil assinaturas de juízes de várias partes do país, pedindo que esse habeas corpus seja negado. Maior pressão que essa, impossível. Maior preocupação que essa, também impossível. Aí, não se trata de e-mails ou mensagens que abarrotaram todos os computadores dos julgadores da Corte, trata-se da presença das principais pessoas que se preocupam com a Justiça neste país.

A recente provocação de Lula ao povo brasileiro, indo ao Sul do país sabendo que não seria bem recebido, faz parte de um jogo que envolve, para fazer crescer o bolo, a morte da vereadora Marielle Franco e do seu motorista Anderson Gomes. Puro jogo de cena, para continuar se fazendo de vítima e tentar comover os que realmente não sabem das suas reais intenções e não têm certeza dos seus atos criminosos. Ele conta com isso, a maioria do país, não. Que ganhe a maioria!

Comentários
×