Destino

 

João Carlos Ramos

A astrologia hermética diz que os astros expõem, mas não impõem. Portanto, aqueles críticos da teoria do destino ainda não entenderam o seu real sentido.

Observamos que outros há que falam com o vento, sem leitura interna e estudos aprofundados na referida causa. A linguagem psicanalítica, filosófica e outros ramos da ciência do conhecimento afirmam no "interpretar interno" que algo acontece quando agimos em qualquer campo, independentemente do querer.

Indubitavelmente, existe o "predeterminismo que guia os fatos". As estatísticas afirmam que em determinados períodos do ano acontecem fatos, repetidamente...

Foi constatado nos Estados Unidos que em uma referida penitenciária, os condenados nascidos no mês de abril são mais numerosos.

Há milênios a astrologia afirmava que os nativos da primeira casa, os arianos, possuem atitudes rústicas e impetuosas e não vacilam em tomadas de decisões altamente precipitadas, que podem culminar com atos de criminalidade. A lua rege cortes de cabelo e a semeadura e colheita das plantações, dentre outras influências. Qualquer matuto  pode ensinar a outrem  sobre influências lunares. Poderia citar os fenômenos, atrelados a premonição, como sonhos e visões que rompem a barreira do tempo e espaço para que mensagens sejam entregues aos seres humanos. Tenho discutido o tema com amigos seletos e observado que alegam desastres, sem que o trem tenha saído da estação. O homem é soberano em suas ações, mas não o é no tráfego e retorno. Colhemos o que semeamos e isso é provado até pela física. Nosso destino é traçado a partir de nossas atitudes e nossas atitudes a partir de nosso destino, individual ou coletivo.

A física quântica afirma que nossos pensamentos criam realidades materiais. Os referidos pensamentos não pertencem à dimensão da matéria, e como podem atravessar a barreira do infinito?

Algo está por trás de nossos gestos e além de nosso querer. Os adeptos do dogma reencarnacionista afirmam que nosso destino depende das ações realizadas em vidas passadas. A doutrina budista é mais complexa, pois apregoa a reencarnação em reinos inferiores e superiores na escala do carma individual.

A Bíblia Sagrada é enfática: "está ordenado ao homem, morrer uma só vez, vindo depois o juízo - Hebreus 9:27".  Reencarnação e purgatório não encontram espaço nos 66 livros que compõem o livro santo. O livro de Apocalipse diz: "Os livros foram abertos e os homens foram julgados por aquilo que está escrito nos livros - Apoc. 20:12". Convenhamos: à luz do exposto, certamente o destino existe e apenas colocamos a locomotiva nos trilhos que nos conduzirá  a recompensa ou punição. Tenho dito!

jocarramos@gmail.com

Comentários
×