Despedida já sentida

O empresário Afonso Gonzaga, que por 16 anos comandou os destinos dos empresários do ramo industrial de Divinópolis, está chegando ao final do seu ciclo. Seus brilhantes serviços já estão sendo sentidos em São Paulo, onde assumiu a presidência da Associação Brasileira da Indústria de Fundição (Abifa) e passou a ser um dos diretores da Fiesp, a maior federação de indústrias do Brasil.

Seria muito...

...lembrar aqui os feitos de Afonso, a sua lealdade, amizade e dedicação a esta cidade e a seus cidadãos. Nunca quis disputar os cargos políticos que lhe foram oferecidos, mas sempre esteve, de uma forma ou de outra, ao lado dos governantes e dos políticos da cidade, quando estes dele necessitavam. A Diretoria Regional da Fiemg era quase nada, ou pouco representava para Divinópolis e Região, até que Afonso Gonzaga assumisse o posto de presidente regional. Hoje, Sesi e Senat oferecem os mais diversos cursos profissionalizantes, colocando nossos jovens nos diversos mercados da cidade e do país. Será, com certeza, uma perda de difícil preenchimento, já que Afonso representava inicialmente Divinópolis, pois sendo daqui era sempre presente em todos os momentos necessários. Ao formiguense Paulo Costa, novo diretor da entidade, a torcida para que ele preencha o espaço deixado por Afonso, com a mesma sabedoria e nível de trabalho.

Lamentável

Os números são reais e devem ficar evidenciados na semana dedicada à mulher. Ontem, várias homenagens foram prestadas a elas, com direito a uma edição especial do Agora. Hoje, para que haja algum tipo de providência por parte dos legisladores e das polícias, este PB lembra que, durante o ano de 2017, uma mulher foi assassinada a cada duas horas. Foram 12 por dia, correspondendo a mais de 4.300 mulheres por ano em todo o país. Um número alarmante, realmente digno de nota para ser modificado.

Onde está o dinheiro?

O governador Fernando Pimentel (PT) andou dizendo que iria pagar os funcionários do Estado a partir de março de uma só vez. Atualmente, os pagamentos são divididos em até três vezes, começando pelo dia 15 e terminando geralmente no dia 25. Por aqui, o prefeito Galileu Machado (MDB) não pretende repetir o mesmo erro do ano passado, quando em plena euforia foi pagando tudo que via pela frente, e diz que pagou mais de R$ 50 milhões de dívidas atrasadas, o que o ex-prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) nega. Agora, sem ter de pagar dívidas atrasadas, o assunto na Prefeitura é que os salários, mesmo com o pagamento do IPTU, IPVA e outros impostos, continuarão dividindo os pagamentos em duas ou mais vezes.

O dinheiro ainda...

...não chegou, pois os impostos em sua maioria serão pagos de forma parcelada, o que é ruim por um lado e bom por outro, já que, durante todo o ano, o dinheiro entrará nos cofres municipais. Enquanto isso, a dívida previdenciária continua aumentando e, como o assalariado comum, ninguém na Prefeitura sabe falar sobre o futuro.

Uma coisa parece...

...certa: Galileu dificilmente fará as suas grandes obras como nos mandatos anteriores. Uma ponte hoje não fica tão cara e, talvez, um mês de atraso dos salários dos funcionários daria para fazer pelo menos duas. Mas os funcionários estão atentos e já adiantaram que isso não acontecerá, pois não deixarão. Galileu não é nada bobo, a situação política não está boa, a financeira está pior ainda, a saúde está pela hora da morte e qualquer ponte pode esperar um pouco mais até que haja dinheiro para isso.

Ricardo Moreira não...

...é mais secretário municipal. A partir de ontem, disse a Galileu que não poderia continuar, pois tem problemas de saúdes que precisa cuidar com mais atenção. Ricardo, com a saída de Fausto Barros, ficou engessado com tanto serviço e problemas para resolver. Na ausência agora de Galileu, também por problemas de saúde, Ricardo foi o prefeito do momento, pois resolvia tudo em nome do titular. Ele disse ontem a este PB que o seu afastamento é definitivo, embora tenha feito um pedido a Galileu, pedido que terá de ser aceito, mesmo porque a sua família já se posicionou contrária à sua volta.

Comentários
×