Despedida com esperança

Israel Leocádio 

Olá! Permita-me falar um pouco de esperança, neste, que é o último artigo que escrevo neste ano, que, de tão difícil, tornou-se para muitos a comprovação de que estamos à deriva da própria sorte no mar da tribulação e sem auxílio divino. Esse é um sentimento comum aos seres humanos, quando enfrentam adversidades em níveis tão altos (como nos últimos meses). Uma gama de sentimentos negativos frutificam sob tais circunstâncias. Crises são solos férteis para as sementes de desesperança e incredulidade. Quando tais sementes caem em solos adubados com infelicidade, arados por palavras de desesperança, crise e adversidade, e, ainda regadas por uma constante divulgação de más notícias. Então, é quase impossível impedir que a semente da dúvida germine rápido. Logo, o que queremos dizer, ao término de um ano como este (com difícil paralelo de comparação) é: “Ufa! Até que enfim!”.

Porém, enquanto aflora um sentimento de extirpação da confiança ou uma conformidade e aceitação resignada da luta, em mim (e em muitos outros) aflora outro sentimento. E esse é que gostaria de compartilhar. Se fizer sentido para você. Então, reflita sobre ele. Se agradar, então alimente-o em você também.

Quero incentivá-lo a ter disposição para semear (no solo particular da alma, único lugar realmente nosso!) a esperança e a fé em um futuro melhor. É importante lembrar que você é o maior responsável pela sua felicidade. E deve ser o maior investidor em seu futuro. Você precisa gerar o melhor em si mesmo. Porque ninguém passa mais tempo com você que você mesmo. Então, talvez seja melhor fazer as pazes com a fé, para seu próprio bem!

Não é impossível ter esperança. A esperança é característica básica da vida humana, está indiscutivelmente ligada a nós. Por ser fato é que um náufrago tem esperança de ser salvo, o enfermo de ser curado, o prisioneiro de ser liberto, o idoso de viver um pouco mais. É a esperança que leva multidões a preencher talões de jogos, acreditando na possibilidade de enriquecer. A mesma esperança faz com que o decepcionado com uma paixão acredite em um novo amor. Esperançar é nossa vocação. 

Quando se trata da ótica de Deus, então a esperança é maximizada. Pois que a esperança é fruto da fé. Assim afirma a Bíblia: “Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor” (1 Coríntios 13.13). Nesse sentido, a esperança é resultante da fé, que, por sua vez, está apoiada no amor. Logo, podemos ter “ânimo para manter a esperança” (Romanos 15.4). E, tratando-se de esperança, ninguém supera Deus! O Senhor está sempre acreditando que o melhor de nós pode surgir e transformar as coisas. Se o pecado trouxe a morte, Deus enviou a esperança da vida, por meio do seu Filho. Se o homem é fraco, Deus fortalece com o Espírito Santo, renovando a esperança de recuperação. Onde o mal sobejou, o amor de Deus transbordou para renovar a esperança. Se as trevas prevalecem durante uma noite, o Senhor providencia a chegada de um dia, para iluminar novas perspectivas. Deus conjuga bem o verbo esperançar.

A Bíblia diz que “há tempo para todo propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3.1). Então, é tempo de nos despedir de 2020 e acenar para um novo ano. É tempo de guardar as lições aprendidas e construir (a partir delas) um amanhã melhor e mais seguro. É tempo de sonhar, ser grato pela vida em meio à sombra da morte. É tempo de semear fé, esperança e amor. É tempo de dizer obrigado a Deus, por permitir que vivamos ciclos e assim tenhamos fôlego para começar de novo. É tempo de guardar as imagens do ano que passou em um álbum e deixá-lo guardado, apenas como lembrança da superação, da esperança sobre a dor. É tempo de reconstruir. Entendendo que faremos um novo ano, um dia de cada vez. É tempo de tentar sorrir, para que nossos filhos aprendam a arte da superação. É tempo de nos levantar, para que as próximas gerações não contem nossa história como uma tragédia apenas, mas que registrem nossa força e coragem. É tempo de amar, para que a humanidade melhore. É tempo de crer em Deus, para que sejamos capazes de tudo isso. É tempo de enxugar lágrimas, levantar a cabeça e acreditar. Pois que, já afirmou o próprio Deus: “Tudo é possível ao que crê” (Marcos 9.23). Então, creia! Podem nos acusar de ser positivistas motivacionais. Contudo, prefiro ser positivo e confiante a ser negativo e pessimista. Se Deus diz que “posso todas as coisas naquele que me fortalece”, então, eu posso. Posso tudo que Deus diz que posso! Viverei tudo que Deus disse que a fé pode produzir em minha vida!

Se alguém me pedisse um conselho para o ano novo, diria: “Avance sempre. Nunca pare. Retroceder, jamais”. Feliz Ano Novo!

ileocadiodasilva@yahoo.com

Comentários
×