Desigual

Preto no Branco - Desigual 

Ocupar um cargo de destaque, liderar um grupo, uma comunidade, sendo competente para isso e respeitado. Posição que causa desconforto em muita gente por aí, que, por não ser capaz de estar no mesmo patamar, vive por conta de tentar arruinar a vida de quem “comeu o pão que o diabo amassou” para chegar lá. Quando essa pessoa é uma mulher, então, aí é que a coisa fica pior. Situação presente em uma sociedade machista que não acompanha a evolução do mundo. E, como no restante do país, Divinópolis não fica de fora de uma estatística lamentável. São vários os casos que poderiam ser citados e, com certeza, muita gente iria se lembrar. Mas, aproveitando a factualidade, falo da diretora do Complexo de Saúde São João de Deus, Elis Regina. Responsável por levantar o hospital quando ele corria o risco de fechar as portas, vira e mexe é vítima de algo que, se não tem fundamento nenhum, tratam de criar um, puxando gancho de assuntos mais “nada a ver”. A última foi a refeição para pacientes de hemodiálise do Complexo de Saúde, os quais ficariam sem os alimentos, conforme nota publicada nas redes sociais. Mais uma vez, a direção do hospital precisou emitir nota quase na madrugada para desmentir a informação. Ora bolas, a mulher é batalhadora, competente e dá conta do recado! O que ninguém deu. Deixa ela trabalhar. Está ficando feio e repetitivo. Melhor aceitar, antes que esta dor de cotovelo fique crônica e intratável. 

Notáveis 

São várias Elis Reginas espalhadas por aí. Na trajetória árdua do dia a dia, dão o melhor de si no mercado de trabalho e, de quebra, são capazes de tirar de letra pelo menos mais duas jornadas. São profissionais, mães, esposas, donas de casa e professoras. Isso mesmo. Neste mais de um ano de pandemia do novo coronavírus, a maioria se tornou a principal companheira dos seus filhos nas aulas remotas. Mesmo assim, continuam impecáveis nas suas funções fora de casa. O prêmio Mulheres Notáveis realizado neste ano pelo Jornal Agora e Acid, que por votação escolheu dezenas delas em diversas profissões, ilustra muito bem isso. Serão homenageadas no próximo dia 26 no Divinópolis Clube com toda a pompa que merecem. E vão representar todas que, mesmo não estando entre as escolhidas, têm todos os méritos, pois, só de ser mulher e enfrentar todos os dias essa característica cultural empregada em todos os meios, já são mais do que vencedoras.

Madrinha 

E nada melhor que uma notável sendo madrinha das outras. É exatamente isso que Elis Regina representará na festa em homenagem a elas. Aceitou o convite da diretora do Agora, Janiene Faria, e abrilhantará o evento, o qual celebra exatamente o que ela é e faz. Certamente, exemplo para muitas, é um encaixe perfeito ao que o tributo pede.  A intenção é que as Elis – e que não são poucas – não precisem de uma votação para serem lembradas e colocadas no lugar que elas merecem.   E que principalmente nas questões salariais e nas oportunidades de emprego sejam valorizadas tanto quanto os homens, pois caráter e competência não se medem pelo gênero, especialmente o feminino, que de frágil não tem nada. 

Por que?

Muitas situações de violência contra a mulher trazem uma reflexão: por que o machismo persiste? Problema social grave que desencadeia diversas vertentes para crimes, em que os de maior relevância são os contra a liberdade sexual e a vida. Dito isso, explica-se porque em pleno século XXI ainda são necessárias várias datas para lembrar que a mulher conquistou ao longo da história todos os direitos que as protegem de qualquer ataque medíocre. Além do Dia Internacional, celebrado em 8 de março, tem a Lei Maria da Penha (Brasil), que em 7 de agosto completou 15 anos. Veja que absurdo. Para que o homem violento fosse punido, foi preciso uma mulher ficar tetraplégica e ainda lutar incansavelmente para que fosse preso. No entanto, apesar dessa e de outras conquistas, ainda há muito o que ser alcançado. É o que debate outra data significativa, no próximo dia 26: o Dia Internacional da Igualdade Feminina. Quando não for necessário celebrar nenhuma dessas datas, pode ter certeza que a igualdade tão difícil e almejada foi alcançada. Enquanto isso, continuemos lutando com as armas que temos rumo à vitória!

Comentários
×