Desfile é cancelado pelo segundo ano consecutivo

 

Matheus Augusto

Pelo segundo ano consecutivo, o aniversário de Divinópolis será silencioso. A Prefeitura confirmou ontem que, em razão dos “enormes obstáculos financeiros”, está cancelado o desfile cívico de 1° de junho. Segundo a Administração informou ao Agora, o desfile custa aos cofres públicos R$ 70 mil. O valor é referente, por exemplo, às despesas com gradil, palanque, segurança, som e transporte para os estudantes das escolas públicas. Além disso, o Executivo disse não esperar transtornos com a decisão.

— A Prefeitura entrou em contato com várias entidades e a maioria foi unânime em apoiar a decisão de não realizar o desfile para conter gastos — informou.

“Tristeza”

A vereadora Janete Aparecida (PSD) tocou no assuntou durante seu pronunciamento. Segundo ela, apesar de ser uma medida infeliz, é necessária diante da crise econômica na cidade.

— É com tristeza que damos a notícia do cancelamento do desfile da 1º de junho, mas nós sabemos que foi necessário, uma vez que não há como festejar ou ter qualquer gasto com a Prefeitura passando pelas dificuldades financeiras. Ficamos tristes, as escolas e os alunos se preparam, é um ato de civismo, de amor à nossa cidade, mas, infelizmente, nessas condições não é possível — destacou.   

Cortes

O cancelamento do desfile cívico na 1º de junho faz parte das medidas de cortes da Prefeitura. De acordo com a Administração, o prefeito Galileu Machado (MDB) determinou uma série de ações de contenção de gastos.        

Além do pedido de revisão quantitativa dos cargos comissionados, outro ponto para equilibrar as contas do Executivo deve ser o envio de um projeto de lei à Câmara Municipal.

— A iniciativa integra uma gama de providências necessárias para o enfrentamento de um cenário de extrema dificuldade financeira provocada pelo quadro econômico no qual o país se encontra — informou a Prefeitura.

O documento deve prever desconto de 95% em multas e juros para os contribuintes que tenham dívidas com o Município. O benefício, a ser pago em parcela única, terá validade até 30 de agosto de 2019.

— Pelo texto, o Poder Executivo fica autorizado a promover o recebimento de débitos municipais, sejam de natureza tributária ou não, inscritos ou não em dívida ativa, ainda que ajuizados e protestados, ficando condicionado o acesso do contribuinte aos descontos legais aos pagamentos do valor devido até 30 de agosto de 2019. Os débitos de qualquer natureza alcançados pela presente lei serão consolidados de acordo com a legislação em vigor e são aqueles cujos fatos geradores ocorreram até 31 de dezembro de 2018, devendo ser quitados em parcela única, com desconto de 95% (noventa e cinco por cento) dos juros e da multa de mora — ressaltou o Executivo.

Policiamento

Ainda em abril, o tema já estava em discussão. A Polícia Militar (PM) comunicou que não seria possível desfilar, caso fosse necessário realizar a segurança do evento, as atividades de rotina e a atuar na Divinaexpo. Na época, o comandante do 23º Batalhão da PM, tenente-coronel Rodrigo Coimbra, informou que seria preciso entre 30 a 40 homens para o desfile e outros 100 para trabalhar e desfilar. 

 

 

 

 

Comentários
×