Descrença?

O prazo para regularização do título de eleitor terminou semana passada, e acredite: dos 18.654 eleitores com títulos cancelados mostrados aqui neste diário na edição do dia 27 de setembro, nenhum compareceu à Justiça Eleitoral para regularizar a situação. O número permaneceu intacto até ontem. Seria falta de interesse, perda de prazo por esquecimento ou descrença com a política e os políticos? Eu, sinceramente, apostaria nesta última razão.

Para lamentar

Ruim para os eleitores que sofrem algumas penalidades, pior para os candidatos. Muitos devem estar lamentando este número gordo de eleitores. Isso porque dependendo do partido ou siglas daria até para eleger um deputado. E na disputa ferrenha neste pleito em Divinópolis, com nada mais, nada menos que 14 candidatos, não tenho dúvida que estes votos farão muita falta.

Nenhum

Agora, será pior ainda, se a cidade não fizer nenhum representante na Assembleia Legislativa. Informações de bastidores dão conta de que se para os candidatos a deputado federal o aperto é grande, para os estaduais, o risco é iminente.  Porém, não seria surpresa. Devido à divisão de votos na cidade e com outros candidatos de fora, apenas Fabiano Tolentino foi eleito na eleição passada. Lamentável? Sim, mas bem possível.

Cancelados

Quem estiver com a situação irregular com a Justiça Eleitoral pode ter o título cancelado. Isso ocorre se o eleitor faltar três eleições seguidas e não justificar. Vale lembrar que cada turno é considerado uma eleição.

Vão às ruas

No penúltimo dia permitido para ir à caça dos eleitores, dois candidatos a cargos majoritários marcarão presença nas ruas de Divinópolis. Um deles, não estará pessoalmente na cidade, mas seus coordenadores de campanha e apoiadores vêm fazendo muito bem o papel do candidato. É Jair Bolsonaro (PSL), que almeja a cadeira de maior poder do Executivo no país. Liderada por Fernando Malta e Sargento Elton, uma passeata sai Praça da Catedral, às 18h30, sentido Praça do Santuário.

De carro

Mais cedo, é a vez do postulante ao Governo de Minas pelo Novo, Romeu Zema, se movimentar pelas ruas centrais da cidade. Ele participa de carreata com apoiadores, às 15h30 e uma hora depois caminha pelo Centro, como fez na última vez que esteve na cidade. Com 10% das intenções de votos, Zema que é de Araxá, diz se sentir em casa.

Sem diploma

Nenhum político nega a importância da educação, mas na prática menos da metade concluiu o ensino superior. Dos mais de 27 mil políticos brasileiros na disputa por um cargo público nessas eleições, 13 mil, ou 49,6%, têm na parede um diploma universitário. O levantamento foi feito pelo Quero Bolsa, com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Minas Gerais tem 47,5% dos candidatos com diploma universitário. Mais uma prova de que a maioria prega o que não pode oferecer.

 

Novos inquéritos

O indiciamento de cinco pessoas, com a prisão de quatro, não encerrou o caso da RBH Construtora. Fontes do Agora revelaram que as investigações seguem e novos inquéritos começam a ser elaborados pela Polícia Civil (PC).  Foram identificadas novas fraudes, envolvem outras pessoas e o “bicho promete pegar” nos próximos dias. Já tem gente ansiosa para saber...

Ainda presos

Continuam presos e a disposição da justiça, o casal Péricles Hazana Marques Júnior e Sandra Mara Oliveira Barros, o filho Rafael Barros e a sobrinha dos proprietários, Gabriela Barros Brandão Martins.

Comentários
×