Derrota brusca

Preto no Branco 

Não foi nas ordinárias como era aguardado. Reunião extraordinária na manhã de ontem debateu o projeto de autoria do Executivo que visa suspender os repasses dos parcelamentos devidos pelo Município ao Instituto de Previdência dos Servidores (Diviprev). E não deu outra. Os ânimos exaltados e os bate-bocas, críticas à matéria e aos colegas tanto por parte dos vereadores de situação  quantos aos da oposição fizeram mais uma vez parte das discussões. O que era esperado, já que desde a primeira vez que a proposta chegou à Casa, foi motivo de polêmica. Mas não somente no Legislativo, nas redes sociais e nas ruas. O que parece ter comovido boa parte dos vereadores. Já que a matéria foi rejeitada. Motivo para soltar fogos por parte de Matheus Costa (CDN) e Edsom Sousa (MDB), por exemplo, grandes críticos à proposta. No entanto, certamente, esta novela não acaba neste capítulo de início de semana. Outros ainda mais emocionantes devem vir por aí.

Anúncio aguardado 

Além do de sempre na Câmara, a semana começa com expectativa em relação às eleições municipais. O mais esperado é o anúncio da chapa de Jaime Martins (DEM) para disputar a Prefeitura. É aguardada a confirmação do também ex-deputado Fabiano Tolentino (CDN) para seu vice. Os dois foram exonerados dos cargos que ocupavam em Brasília e Belo Horizonte, respectivamente, na última sexta-feira, 14. O que não significa que já chegaram a um acordo, visto que Fabiano também tinha o desejo de encabeçar uma chapa. Porém já afirmou a este PB que aceitaria ser vice de Jaiminho. Confirmando, está formada, então, a terceira dupla na briga pela cadeira, atualmente ocupada por Galileu Machado (MDB) –  que também já se declarou pré-candidato – antes, foram consolidadas as de Sargento Elton (Patriota)/Fernando Malta (PSL) e Marquinho Clementino (Republicanos)/Wagno Ribeiro (PDT).  Cenário que começa a ser definido, mas que, certamente, terá mais novidades nesta semana.

Vacilo perigoso

A estabilidade da covid-19 é motivo para se comemorar, mas não para se desleixar. Até porque o recuo da contaminação depende muito mais da população do que das autoridades de saúde. Não dá para sair por aí sem máscara, como se vê em algumas ruas em ambientes em Divinópolis. Muito menos participar de eventos como festas escondidas, infração comum por parte de alguns irresponsáveis. O vírus está aí, não escolhe raça, idade e muito menos condições sociais. É bom que isso fique bem claro, visto que muita gente parece ainda não saber disso.

Mortes precoces 

As mortes de uma médica de 27 anos, natural de Teófilo Otoni no Vale do Mucuri, sem nenhuma comorbidade e do ex-deputado federal por Minas Gerais, Caio Narcio (PSDB), 33 anos, são exemplos. Os dois perderam a luta para a doença no fim de semana. Caio estava internado na em São Paulo desde 12 de julho devido a complicações causadas pelo coronavírus. Natural de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, Caio exerceu um mandato, de 2015 a 2019. Ele é filho de Nárcio Rodrigues, deputado federal por cinco mandatos e secretário de estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas no governo de Antonio Anastasia. Perdas que ilustram bem a letalidade da doença e servem de alerta.

Escudo protetor

Tropa de irresponsáveis. Talvez este seja o termo mais adequado para chamar essa bando de adolescentes, jovens e até muitos adultos barbados que andam se esbaldando em festas até o sol raiar sem se preocupar com outro. Neste fim de semana, foi possível confirmar o tamanho da insensatez promovida Brasil afora. Festas marcadas via WhatsApp e dezenas de pessoas se aglomerando, bebendo e se beijando como se nada estivesse acontecendo. Como pode? Eles se acham escudos protetores que adquirem a doença, porém são assintomáticos ou têm sintomas bem leves. Mas, e os parentes? Idosos, portadores de doenças ou não, que também estão sujeitos a consequências graves, sendo uma dela a morte? Realmente lastimável e faltam palavras para descrever gente capaz protagonizar o pior. 



Comentários
×