Denise Gonzaga canta “Uma Mensagem”

Apresentação será no próximo domingo no Santuário de Santo Antônio

Jorge Guimarães

Após um período sem fazer shows, dias em que se dedicou aos estudos de canto, apresentações particulares e outros projetos, no próximo domingo, 8, após a missa das 19h30, no Santuário de Santo Antônio, a cantora divinopolitana Denise Gonzaga fará o show “Uma Mensagem”. O ingresso será a doação espontânea de materiais de limpeza, higiene pessoal e/ou fraldas descartáveis tamanho G, que serão encaminhados para a entidades carentes da cidade. Conversamos com exclusividade com a cantora, que descreveu a emoção de voltar aos palcos.

Agora – Quem é Denise Gonzaga?

Denise – Perguntar quem é Denise Gonzaga é perguntar quem é a cantora? Eu não consigo separar a cantora da pessoa. Dizem que o artista veste o personagem para subir ao palco, eu não me sinto assim. Para mim, quando piso no palco, é a hora que estou mais plena, me sentindo eu mesma, a Denise pessoa, aquela que sonha, vive, ri, chora e tenta aprender com as experiências da vida. A música é uma forma que tenho de ajudar, de chegar até as pessoas e passar minha mensagem para que elas a interpretem da maneira que melhor encontrarem.

Agora – Como nasceu seu interesse pela música?

Denise – Ele veio de muito cedo. Percebo isso desde muito pequena. Comecei a cantar aos oito anos, na igreja, nas coroações. Aos dez anos, comecei a estudar violão e seguiu um caminho que se tornou maravilhoso.

Agora – O que te levou pelos caminhos da música erudita?

Denise – Comecei a estudar canto com a Babaya, uma das mais renomadas professoras de canto do país, começando no canto popular. Depois eu conheci o barítono José Carlos Leal e fui estudar canto lírico com ele. Tive também outros professores. Uma coisa que me incomodava no começo era a cobrança em definir se eu era uma cantora lírica ou popular. Hoje eu até entendo, pois as duas coisas não caminham juntas. Na verdade, eu não queria ser uma cantora de ópera. Eu queria só cantar. E existia uma cobrança quanto a esta definição. Atualmente, me sinto mais tranquila em relação a isso. Quando me perguntam quem sou, digo: sou cantora. Eu canto aquilo que me faz bem, aquilo que traduz emoção, seja no canto erudito ou popular. Mas, se o Brasil tivesse mais campo e valorizasse mais a cultura erudita, eu estaria talvez no canto erudito. Há uma disciplina no lírico que é excelente. Eu gosto.

Agora – Quantos CDs e DVDs?

Denise – O meu primeiro CD foi o “Tempo e Voz”, seguido de “Memories” e depois, fechando uma trilogia, “Essência”.

Agora – Qual motivo a levou a se afastar dos palcos?

Denise – Foram diversos fatores, inclusive pessoais, um deles foi me dedicar mais à família. Eu não me ausentei dos palcos deixando a música, de alguma forma, eu continuei a cantar onde estava. Foi importante, foram muitas experiências, todas elas me trouxeram crescimento e aprendizado. E isso somou muito para quando subir ao palco no próximo domingo. Foi uma ausência dos palcos, não da música.

Agora – O que a levou de volta aos palcos?

Denise – A música, o público e as pessoas. O palco é um lugar sagrado. Tenho muito respeito, primeiro pela música, pela possibilidade que a vida me deu e pelas pessoas que estão ali para me escutar, e o palco é este canal mágico de diálogo com todos.

Agora – Neste show qual será o seu setlist?

Denise – Ele trará um repertório com canções que eu já há algum tempo queria apresentar. Ele vem de um pedido, de muito tempo, para que eu fizesse um repertório com canções religiosas. Atendi as sugestões e vou falar de sentimento, emoção, espiritualidade. Por isso, o show se chama “Uma Mensagem”. Minha intenção é conseguir transmitir o que sinto, o que quero dizer. A forma como isso vai chegar até as pessoas? Vai depender do estado de espírito de cada um. O repertório tem canções como All Souls Night, The Dark Night of the Soul (música que foi inspirada na conhecida a obra de São João da Cruz), Ave Maria, Eternidade e outras tantas.

Agora – Você será acompanhada por quais músicos?

Denise – Esse show tem a direção musical de Aulus Mourão e André Barbosa, que também tocam piano. No contrabaixo, Wagner Faria, e na bateria, Edvaldo Ildo.

Agora – Pretende sair em turnê com este show?

Denise – É o nosso desejo! Temos também um projeto para o próximo ano que, depois de formatado, divulgaremos.

Agora – Para finalizar, qual é o momento vivido na preparação do espetáculo?

Denise – Estou muito feliz, muito agradecida de realizar este show. Espero conseguir transmitir para as pessoas o que mais me faz bem. Agradeço a todos aqueles que acreditaram, apostaram, apoiaram, principalmente Deus, por me permitir que este momento aconteça.

Comentários
×