Delegados Ivan Lopes e Leonardo Pio pedem exoneração; afirmam que a verdade virá

Da Redação

Ao término da operação “One Way” deflagrada da manhã desta sexta-feira, 5, o delegado Ivan Lopes que ocupava o cargo de Coordenador-Geral da Superintendência de Informações e Inteligência Policia da Polícia Civil, e o delgado regional, Leonardo Pio, pediram exoneração dos postos de chefia. A alegação dos dois é que esta foi a melhor decisão até o fim das investigações.

O objetivo da ação foi identificar a prática de fraudes no credenciamento de fábricas e estampadoras de placas veiculares, além dos crimes de cartel, associação criminosa, lavagem de dinheiro, entre outros. A operação ocorreu em várias cidades do Centro-Oeste, entre elas, Divinópolis. Além de Formiga, Pará de Minas, Itaúna, Bom Despacho, Santo Antônio do Monte, Itatiaiuçu, Lagoa da Prata e a capital, Belo Horizonte.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão, adotadas medidas de bloqueio de valores e seqüestro de bens. Há suspeitas ainda do uso de “laranjas” no esquema.
Policiais civis, fábricas de placas veiculares e empresários foram os alvos.

Além do afastamento dos delegados, um investigador foi preso.

As suspeitas eram investigadas há sete meses.

A chefia

O comando da PCMG informou que está adotando todas as medidas administrativas pertinentes. Reforça que não admite desvios de conduta e destaca que sempre garantiu e assegura a total independência nos trabalhos correicionais. Ressalta ainda estar consternada com o envolvimento de policiais que se encontravam em exercício de cargos de chefia.

O outro lado

Ivan Lopes disse ao Agora ter pedido exoneração do cargo comissionado para dar total transparência à investigação.

— Ninguém está acima da lei. Todos nós, especialmente servidores públicos, estamos sujeitos a investigações em face de denúncias caluniosas. Tenho a consciência tranquila de que nada pratiquei de ilegal ou imoral. Não participei de processo de credenciamento de empresas. Não é minha função. Acredito na isenção da investigação e que verdade virá. Tenho certeza que a justiça vai demonstrar que sou inocente — frisou.

Leonardo Pio também se manifestou. Disse que, até que tudo se esclareça, pediu exoneração.

— Apesar de tentarem me denegrir faço questão de clarear tudo em momento oportuno. Aguardo os esclarecimentos com certeza de ter sempre cumprido a lei — desabafou.

 

Comentários
×