Delegado ouve testemunhas de homicídio em Divinópolis; suspeito segue foragido

 

Rafael Camargos

As estatísticas não mentem. Depois de mostrar que o tráfico de drogas foi a principal motivação das mortes em Divinópolis no ano passado, a cidade acordou com o primeiro homicídio registrado no ano na madrugada de ontem. Um jovem de 21 anos foi morto em um bar na rua Goiás, bairro Orion.

Segundo relato de testemunhas para a Polícia Militar (PM), o suspeito chegou ao estabelecimento, observou as pessoas que ali estavam, sacou o revólver e atirou. Foram vários disparos contra a vítima Patrick Allan Santos, que tem antecedentes criminais por tráfico de drogas.

No local, a perícia técnica colheu oito cápsulas calibre 9mm. 

Depois de atirar contra Patrick, o suspeito fugiu e ainda não foi encontrado.

 

Investigações

 

O titular da Delegacia de Homicídio, Vivalde Levilesse, disse que o caso está em andamento, e os investigadores estão em diligências para encontrar o suspeito.

— Ouvimos duas testemunhas que estavam no local na hora do crime. Duas garotas de programa, porém elas não conseguiram reconhecer o suspeitos, portanto estamos trabalhando somente com os dados da Polícia Civil — frisou.

 

Mais da metade


Só no ano passado, as mortes pelo tráfico de drogas representaram para a Polícia Civil cerca de 55% da taxa de homicídios. Foram 37 por este motivo ao longo do ano. Os crimes por outras motivações aparecem em segundo lugar somando 15 (25%), seguido dos crimes passionais, com quatro (6%), latrocínios (5%), três e intervenção policial ou legitima defesa, dois (4%). 

Comentários
×