Delegacia Regional não adere à paralisação da PC pelo país

 

Anna Lúcia Silva

A Delegacia Regional, com sede em Divinópolis, não aderiu à paralisação de 24h de policiais civis realizada em alguns municípios do Brasil nesta terça-feira, 25. Os profissionais reivindicam igualdade na condução e tratamento dado aos policiais militares no projeto da reforma da Previdência, apresentado pelo governo federal.

O presidente do Sindicato dos Escrivães de Polícia do Estado de Minas Gerais (Sindep-MG), Bertone Tristão, afirma existir uma nítida distinção entre as corporações e isso causou uma grande insatisfação, podendo prejudicar principalmente as polícias Civil, Federal e Rodoviária Federal.

Proposta

A proposta apresentada pelo governo mostra que os policiais civis, agentes penitenciários e socioeducativos, entre outras categorias, só poderão se aposentar a partir dos 55 anos. Já os militares e bombeiros terão o mesmo tratamento dado aos integrantes das Forças Armadas, cujos benefícios previdenciários não foram alterados.

Pelo país, o movimento é liderado pela União dos Policiais do Brasil (UPB), que representa 24 entidades sindicais de policiais civis.

O delegado regional, Leonardo Pio, informou que defende e apoia qualquer movimento que busque melhorias sociais e direitos fundamentais dos servidores públicos. 

Comentários
×