Definidos shows da Queima do Alho da Divinaexpo

 

Jorge Guimarães

 Está definida a programação de shows da Queima do Alho. A festa existe em Divinópolis desde 2005 e defende a cultura do interior.

O evento relembra a época quando boiada era tocada a cavalo e cada comitiva ia à frente para fazer a queima do alho. Hoje é um dos momentos que marcam a tradição sertaneja da Divinaexpo.

O objetivo é levar ao público um pouco do tempero e do sabor de pratos que eram tradicionalmente preparados pelos cozinheiros das comitivas que rodavam o país afora.

 Comitivas 

Neste ano, a Queima do Alho receberá em torno de 16 comitivas no dia 2 de junho, a partir de 2 de junho, das 11h às 17h, no Parque da Divinaexpo. Entre as comitivas, destaque para a paulista Esteio de Aroeira, que, pela primeira vez, participará do maior e melhor rodeio das Minas Gerais.

 Queima do Alho

 O nome Queima do Alho é dado à tradição da culinária típica das comitivas de peões de boiadeiro e virou uma das principais atrações das festas de rodeio de todo o país, inclusive a Divinaexpo. O cardápio é composto de arroz carreteiro, feijão gordo, paçoca de carne e churrasco. A comida é feita em fogão improvisado, bem próximo ao chão. Durante o evento, há um concurso culinário em que a vencedora é a comitiva que preparar a melhor refeição à moda dos tropeiros.

– Trazer a tradição dos tropeiros para dentro da Divinaexpo foi um gol de placa. O evento é sempre aguardado com ansiedade por todos, principalmente pelas comitivas. É um encontro familiar, onde a tradição do meio rural vem sendo passada de geração em geração – avalia o presidente do Sindicato Rural de Divinópolis, Irajá Nogueira.

 Shows

 Para o sábado, dia 2, subirão ao palco as duplas Mirante & Mirael, Tião Reis & Zé Mineiro, a banda Caipira Nato e o grupo de catira “Os Considerados”, vindo de Silvânia (GO).

 Cavalgada 

Falando de Divinaexpo, não poderia ficar de fora a tradicional Cavalgada de 1º de Junho. Nos últimos anos, a polêmica sempre rondou a realização da cavalgada. Porém, a partir deste ano, ela volta forte e regularizada por lei resultante de projeto de lei da vereadora Janete Aparecida Silva Oliveira (PSD).

Em 2018, as inscrições serão realizadas somente no dia da cavalgada, a partir das 8h, quando haverá um café oferecido aos participantes.

 Itinerário

 O percurso será o mesmo do ano passado. Com concentração na rua Pains, seguindo pela 1º de junho, Goiás e virando na Paraná, a cavalgada sobe até a rua Marquês de Olinda. Depois, vira à esquerda e atravessa as ruas Castro Alves e Amazonas, quando ocorre a dispersão em um lote grande.

 Comunidades 

Uma novidade que os organizadores querem levar para a avenida são as comunidades rurais, que terão espaço dentro do desfile, onde poderão mostrar seus produtos da agricultura familiar.

– Estamos preparando a melhor cavalgada de todos os tempos e convidamos a todos para participarem dessa tradição de nossa cidade. Para tanto, estou entrando em contato com os presidentes das comunidades rurais para que seja feito o convite para que elas venham abrilhantar a nossa cavalgada – definiu Ricardo Salgado, um dos organizadores da cavalgada.

 

Comentários
×