Definida empresa para construção de ETE no Copacabana

 

 

Ana Laura Corrêa 

Foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial dos Municípios Mineiros a definição da empresa para realização de obras no bairro Jardim Copacabana, em Divinópolis. A Lamar Engenharia e Comércio Ltda. foi a vencedora da licitação para executar a implantação de unidade de tratamento de esgoto sanitário na localidade.

De acordo com a Prefeitura, as obras terão início já nos próximos dias. A previsão de conclusão é de quatro meses após o começo da implantação.

 Moradores

 A unidade de tratamento de esgoto sanitário é esperada pelos moradores do bairro Copacabana desde 2012, quando o conjunto habitacional foi inaugurado e os primeiros moradores chegaram à localidade.

— É a obra mais esperada, a que mais precisamos no bairro no momento. Até que enfim saiu a homologação dessa licitação — disse o presidente da associação de moradores do Copacabana, Helielson Rodrigues.

 Fossas 

Atualmente, o esgoto no bairro é recolhido em fossas.

— As fossas que fizeram pra gente enchem muito rápido, são muito pequenas e é uma fossa para cada duas residências. Na minha casa, por exemplo, são cinco pessoas e, na casa vizinha, são três moradores. Ou seja, oito pessoas para usar uma fossa. A estrutura não suporta e o esgoto desce rua afora — disse Helielson.

 Caminhões

De acordo com o presidente da associação, a Prefeitura manda caminhões às terças e quintas-feiras para fazer a limpeza de fossas no bairro. É necessário, no entanto, que os moradores façam agendamento com Helielson, que encaminha a solicitação para a Prefeitura, para que as fossas sejam limpas.

— Se a pessoa, por exemplo, agendar comigo na terça-feira, não consigo mandar o caminhão na quinta-feira. Infelizmente, a pessoa tem de esperar, já tem gente na frente.  Mas o caminhão está indo duas vezes na semana — afirmou.

A frequência da limpeza é diferente para as regiões do bairro, segundo Helielson.

— Quem mora na parte mais alta pode receber o caminhão até de três em três meses. Mas, lá embaixo, no começo do bairro, é preciso fazer a limpeza a cada 15 dias — disse.

 Problemas 

Apesar da chegada da unidade de tratamento de esgoto, Helielson afirma que o Jardim Copacabana ainda necessita de outras obras.

— A infraestrutura do bairro é péssima. Não temos uma entrada digna no bairro, entramos pela estrada de uma fazenda. Não temos posto de saúde, Cmei, escola. Além disso, o bairro está tomado de mato. Falta de pedir não é, mas, infelizmente, temos de esperar a boa vontade do poder público — afirmou.

De acordo com Helielson, o conjunto habitacional conta com 549 casas, além de outras residências em lotes próximos.

 

Comentários
×