Decisão da Settrans gera protesto entre motoristas de aplicativos

 

Da Redação

O novo esquema de controle do trânsito, elaborado pela Secretaria de Trânsito e Transporte (Settrans) para a Divinaexpo de 2019, gera debate sobre seu funcionamento. A ideia é proibir o trânsito de veículos em frente ao parque de exposições até 1 hora da madrugada. Só depois desse horário, ou quando o agente responsável achar ser necessário, o trânsito será parcialmente aberto.

O plano foi defendido pelo agente Victor Moreira em reunião da Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública (Acasp), na manhã de ontem, no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

— Este ano nós inovamos na porta do parque. Da rua Gustavo Melo Alvim até a BR-494 será proibida a circulação de veículos. Fizemos isso devido ao acúmulo de pessoas que ficam na porta do parque, esperando para entrar e, com os veículos transitando, é perigoso. Depois de 1h, teremos a liberação parcial da via, ou seja, veículos como ônibus, táxis, moto taxi e vans serão liberados para estacionar no local— disse o agente em reunião.

Aplicativos

Os motoristas que trabalham em aplicativos como Uber e 99Taxi não poderão estacionar em frente ao parque, assim como os outros veículos de transportes. Segundo Victor, eles ainda terão acesso para desembarcar e embarcar os clientes, mas sem o direito de estacionar e aguardar na região.

O condutor de aplicativo, Thales Saraiva,  mostrou sua indignação com a ideia de proibir o estacionamento em frente ao parque e acredita que a iniciativa não vai funcionar.

— Pelo que eu entendi, nós podemos ter acesso ao parque, mas não ficar perto. Isso vai gerar uma bagunça, porque imagina bloquear uma via principal? Vai gerar um engarrafamento gigante. E, sendo honesto, eu acho que no primeiro dia isso vai dar errado e no segundo, mais ainda — afirmou Thales.

A Settrans defende que não incluiu os aplicativos devido ao funcionamento diferenciado do serviço, que pode ser solicitado pelo cliente pelo celular, sem a necessidade de ficar esperando em um ponto, como táxis e vans.

Regulamentação

A atuação dos aplicativos na cidade ainda não foi regulamentada pela Prefeitura, o que tem grande peso na opção de excluir os motoristas do esquema da Settrans, de acordo com Thales.

— Em vez de arrumarem outra solução, é como se quisessem dar vantagem a uma classe específica — complementou o motorista.

Pelo Supremo Tribunal Federal (STF) é inconstitucional proibir os motoristas de atuarem em seus respectivos aplicativos. Foi decidido que as prefeituras municipais podem fiscalizar o serviço, mas não podem restringir ou proibir a circulação dos veículos.

Em Divinópolis, a regulamentação dos motoristas é uma das pautas da Settrans em 2019.

Comentários
×