DE QUEM É O TEMPO?

Por Ana Luiza Silva

 

         Há poucos dias estava eu assistindo alguns vídeos na rede social, em um momento bem descontraído, estava rindo e me divertindo com algumas “comédias” que ali estavam, quando de repente me peguei reflexiva. Isso mesmo, muito pensativa e até emocionada ao terminar de assistir um vídeo que de engraçado não tinha nada. Muito pelo contrário, era uma bela lição!

         O vídeo era curto, aproximadamente um minuto, e tinha como chamada principal “o tempo”. A história se passou dentro de uma casa lotérica, onde um senhor de aproximadamente 70 anos encontrou um amigo. Ali mesmo, na fila, enquanto aguardavam para efetuar o pagamento de seus boletos, começaram a conversar. Papo vai e papo vem, aquela prosa gostosa, até que um dos senhores convidou o amigo para ir até a casa dele para tomarem um café, e continuar aquela prosa gostosa que iniciou ali na fila. Neste momento, surpreendentemente, o outro senhor respondeu dizendo que não poderia ir porque estava andando muito sem tempo! Sem pensar duas vezes seu amigo respondeu: “Que isso, meu amigo, por favor, não pense assim, sabe por que? O tempo é de cada um... Cada um é dono de seu próprio tempo, portanto, se você realmente quiser, você terá tempo para ir, sim”.

         Naquele momento, me pus a pensar como anda a organização do nosso tempo e como priorizamos as tarefas, os encontros, as atividades, os compromissos. Quantas vezes usamos a famosa frase: “Estou sem tempo” ou “meu tempo está curto” para não fazer isso ou aquilo...

         Fiquei pensando o quanto de verdade tinha naquele vídeo e o quanto nos boicotamos e nos negligenciamos com essa questão.

O quanto “perdemos tempo”, às vezes até mesmo na própria rede social, enquanto poderíamos estar verdadeiramente aproveitando para estudar, estar próximo de quem amamos, fazer coisas que são tão simples, mas sempre julgamos estar sem tempo para fazer, ou ir, ou ligar...                    

Bom, a partir daí, além de concordar com a pessoa que gravou o vídeo, um senhor bastante simpático e cheio de sabedoria, fiquei me perguntando, será que estou há um ano sem visitar aquele parente que mora em outra cidade por falta de tempo ou por falta de priorizar essa visita?

         Será que estou há seis meses sem encontrar com aquela conhecida que tanto gosto, para colocar nosso papo em dia e matar a saudade, por falta de tempo ou por falta de planejamento?

         E aquela amiga de faculdade, que moramos na mesma cidade, conversamos pela rede social com bastante frequência, mas encontrar pessoalmente... Se me recordo bem, foi no fim da faculdade, que já somam uns bons cinco anos.

         É isso mesmo, o tempo é de cada um, tanto na vida pessoal quanto na vida profissional, e as desculpas são verdadeiras, “estou com falta de tempo, por isso não fui ainda”, “estou numa correria, por isso não deu tempo de ir”.

         A reflexão é simples, mas muito profunda. Estamos realmente com falta de tempo ou não estamos gerenciando bem o nosso tempo e organizando nossas atividades?

         E as redes sociais, já parou para pensar e analisar o quanto de “tempo” elas têm nos tomado enquanto poderíamos estar por aí, aproveitando mais a vida, visitando nossos parentes, ou até mesmo fazendo coisas tão simples como sentar na calçada para bater um papo com o vizinho?

         Não podemos negar que estamos muito envolvidos no dia a dia com tantas atividades e tarefas, problemas e situações que dependem de nós. Mas isso não significa que estamos sem tempo, pois o tempo é de cada um e cabe a cada um organizar seu tempo ou então parar de reclamar que não está com tempo para isso ou aquilo. Ou você não dá importância ou não tem se planejado bem. Pense nisso!

 

www.formatar.com.br      analuiza@formatar.com.br

Comentários
×