De geração em geração

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira

jcqueroviver@hotmail.com.br

A história do rubro-negro, o Flamengo de Divinópolis, se confunde com a própria história do futebol amador da cidade. Fundado em 15 de agosto de 1934 pelos desportistas Antônio dos Santos Dâmaso, Latife Faria e Nagib Souki, o simpático clube da beira da linha sobreviveu ao tempo e ainda hoje é referência em Divinópolis e toda região Centro-Oeste de Minas. Com atuação mais voltada para a formação de atletas nas categorias de base, com a Escola de Futebol Flamengo, já revelou atletas, como Michel Coury e o lateral direito Luisinho, que jogaram em grandes clubes de futebol do País.

O maior orgulho de sua diretoria é viver atualmente, como sempre foi em seus primeiros anos, com toda a estrutura do clube como uma grande família, fazendo parte de gerações distintas de rubro-negros.

Na Foto, Antônio Valério, Gil, Zé Carlos e Zezé, membros da atual diretoria do Flamengo, contam um pouco da história do rubro-negro. É o passado, o presente e o futuro unidos em prol de algo bem maior: o sucesso.

 

Depois de ser derrotada pela Argentina, e perder uma invencibilidade de nove jogos (com vitórias), sob o comando de Tite, a Seleção Brasileira tenta retomar o caminho de sucesso na manhã de hoje.

Brasil e Austrália se enfrentarão em amistoso às 7h05 (horário de Brasília) de hoje, no Melbourne Cricket Ground. O treinador acena com mudanças no time que vai mandar a campo.

Dos atletas que começaram o duelo contra a Argentina, apenas Thiago Silva, Paulinho e Philippe Coutinho estão confirmados entre os titulares. O Brasil para enfrentar a Austrália deve ter o futebol de: Diego Alves; Rafinha, Thiago Silva, Rodrigo Caio e Alex Sandro; David Luiz; Paulinho, Phelippe Coutinho, Giuliano e Douglas Costa; Diego Souza.

Com a corda no pescoço

Não fosse o Atlético já estar classificado para as quartas de final da Copa do Brasil e da Copa Libertadores 2017, o técnico Roger Machado não suportaria às péssimas exibições dos últimos jogos. E se ele não colocar o time nos trilhos nas próximas partidas, sua situação ficará insustentável de vez.

No futebol, a pressão por resultados não permite aos diretores agir com a razão. O coração e forças externas ao cotidiano do clube falam bem mais alto. E aí sobra sempre para o treinador.

A verdade é que Roger ainda não deu ao Atlético um padrão de jogo. O time alterna altos e baixos, e não mostra um futebol de qualidades já faz algum tempo. E do jeito que está é que não pode ficar. Ou Roger encontra o caminho ou já era. Esta é a verdade.

E será mais cedo do que muita gente imagina. E a diretoria tem que agir mesmo, enquanto ainda há tempo para recuperação. Hoje, a diferença para o primeiro colocado na tabela, já é de dez pontos. Se não mudar o quadro, para ontem, o sonho de conquistar o Campeonato Brasileiro ficará para trás mais uma vez.

E convenhamos, para os investimentos feitos pela diretoria, montando um grande elenco para este ano, o futebol até aqui apresentado está mesmo a dever, e muito.

MANGUEIRAS BRASIL

Ábila salva o Cruzeiro

O Cruzeiro tem dez pontos na tabela de classificação do Brasileirão, na sexta colocação. E esta posição, o time azul deve a um único jogador: Ramón Ábila. Aquele mesmo, que é sempre preterido pelo técnico Mano Menezes.

O “Wanchope” é o responsável direto por nove dos dez pontos conquistados pela Raposa. Marcou os gols das vitórias frente o São Paulo e o Atlético-GO, e fez a jogada do gol de Thiago Neves contra o Santos. Querem mais?

Com estes números, se Mano não rever seus conceitos, estará assinando é um atestado de burrice.

Comentários