De carona

De carona 

“Fazer bonito com o chapéu dos outros.” Frase que resume bem a “cara de pau” de muitos que não têm a capacidade de concretizar algo que outro deu conta e se destaca por isso. Na política brasileira, então, o que não falta é gente levantando os pés para tentar pegar o chapéu onde a mão não alcança. O Hospital Regional, ainda à espera de trâmites burocráticos para ser aberto, é um exemplo claro disso. Na reunião da última sexta-feira, quando se deu mais um importante passo para, enfim, colocá-lo para funcionar, o ator principal da novela, o deputado Domingos Sávio (PSDB), nem sequer teve seu nome citado nas informações da Prefeitura sobre o assunto. Não é a primeira vez, certamente, porque muitos não sabem que, se o HR está prestes a cumprir sua finalidade, o principal responsável é ele. Em contrapartida, neste período de pouco mais de dez anos, desde a pedra fundamental, é impossível contar quantos usaram a obra para se promover politicamente. Porém quem “pegou no chifre do boi” até agora e luta para domar outros touros em prol de ver o hospital funcionando é só um: Domingos Sávio. O restante apenas pegou carona. Então, minha gente, já passou da hora de “dar a César, o que é de César”.

 

O pai 

Sempre que se tem uma obra desta envergadura e, principalmente, que rende dividendos na política, o que não falta é pai. Mas nessa, em especial, só tem um pai e que dispensa exame de DNA, Domingos Sávio. Está desde o início, em uma das gestões de Vladimir Azevedo, 2010, correndo atrás de recursos, brigando contra tudo e todos para ver o hospital de pé. E só não conseguiu ainda porque enfrentou uma barreira intransponível no Estado no governo Fernando Pimentel (PT), oposição ferrenha ao PSDB. Mesmo impedido de cumprir com sua promessa com Divinópolis e municípios da micro e macrorregião, atuou firmemente durante todos os anos em Brasília para garantir recursos. E não foi só para essa finalidade. Conseguiu conciliar e trazer emendas também para o Complexo de Saúde São João de Deus, único que atende pelo SUS, recebendo mixarias por isso. Agora, é um dos mais satisfeitos com o andamento e não poderia ser diferente, afinal, não vai para as redes sociais se exibir, reivindicando seus méritos. No entanto, quem conhece o seu trabalho não só sabe como tem certeza da sua luta para ver esse sonho realizado. 

No caixa 

E o deputado não somente começou a obra, como é peça importante também em seu final. Não adianta o prédio estar pronto, se não tem como cumprir sua principal função, que é funcionar. Nesse sentido, a emenda de Domingos Sávio para a aquisição de equipamentos está depositada no caixa do Governo do Estado, com valor atual em cerca de R$ 20 milhões. Informação confirmada pelo subsecretário de Estado de Saúde, André Luiz, durante a reunião de sexta. Valor de grande importância, sem dúvida, e que mais uma vez o deputado se adiantou, já que tinha certeza que, mais cedo ou mais tarde, o hospital estaria pronto e precisaria com uma certa urgência dos aparelhos. O que confirma que o Regional não tem somente a paternidade do Domingos Sávio, mas a capacidade de trabalho de quem enxerga longe, concretiza e tem certeza das conquistas

Estratégia e etapas 

 Após a liberação do dinheiro da Vale, foi montada uma estratégia com etapas que vão de A a G, até a conclusão da última fase, que é a abertura na unidade de saúde. Momento aguardado há anos e que prefeitos, profissionais de saúde e, principalmente, a população não veem a hora de acontecer. O encontro de sexta foi na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), campus Centro-Oeste, e, além do subsecretário e Domingos Sávio, teve a participação do prefeito Gleidson Azevedo (PSC), da vice-prefeita, Janete Aparecida (mesmo partido), e do secretário de Saúde, Alan Rodrigo. A discussão girou em torno da retomada das obras e, pelo o que foi abordado e apresentado, agora vai, visto que a etapa atual em andamento é a D. A saúde regional agradece. 

Com o governador 

Romeu Zema (Novo) vai ser mesmo o governador a entregar o hospital depois da passagem de pelo menos três chefes do Executivo no comando do Estado. Uma reunião está agendada para o próximo dia 29, com Zema também com a presença de Domingos Sávio, Cleitinho e seu irmão, o prefeito Gleidson, para dar seguimento à pauta. Dos hospitais regionais em construção em Minas, cinco estão com obras mais avançadas, porém, o de Divinópolis está à frente dos demais. O que facilita o término, desde que a burocracia não trave, é claro. No entanto, reuniões sugeridas por Domingos Sávio com outras secretarias de Estado, para agilizar o processo, podem diminuir o tempo dos trâmites. Levando-se em conta de que tudo que o deputado se propõe a fazer caminha a passos largos, esse avanço já pode ser dado como certo.

Comentários
×