Da esperança de flexibilização à beira de mais restrições

Ao anunciar adesão ao Minas Consciente, Prefeitura esperava onda verde; hoje, pode ir para a vermelha

Matheus Augusto

Desde o início de agosto, as flexibilizações ou restrições em Divinópolis são regidas pelo programa estadual Minas Consciente, conforme determinou o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). São três classificações possíveis: vermelha (apenas serviços essenciais), amarela (serviços não essenciais, como bares e academias) e verde (serviços não essenciais com potencial de grande aglomeração, como cinemas e shows). A “Princesinha do Oeste” encontra-se atualmente no setor intermediário, mas, com a piora de indicadores nas últimas semanas, corre o risco de regredir de onda, como comunicou oficialmente a Prefeitura.

Alerta

Conforme já havia detalhado a Superintendência Regional de Saúde em Divinópolis ao Agora, a classificação de cada microrregião é determinada através da pontuação de uma série de indicadores, como os índices de contaminação por covid-19 e a capacidade hospitalar. Segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) na última sexta-feira, 28, houve uma piora nos indicadores, que, sem estabilização e melhora, podem levar a cidade para a pior classificação no Minas Consciente.

— Na última quinta-feira, 27, em reunião com o Governo do Estado, sobre o Minas Consciente, a avaliação epidemiológica de Divinópolis teve um agravamento. Segundo índice utilizado no programa, o município, que marcava 11 pontos, subiu para 15. Chegando à marca de 19 pontos a cidade entra na onda vermelha, o que significa retroceder nas flexibilizações e permitir somente a abertura dos serviços essenciais — detalhou.

A pasta relatou um crescimento significativo no número de novos casos no último mês.

— Divinópolis estava até a quinta-feira, 27, com 82 pacientes internados com covid-19. O último boletim epidemiológico apontou um aumento de 71 novos casos em 24h. O número de óbitos também cresceu consideravelmente em agosto. Em todo o mês de julho, Divinópolis teve dez no total. Até ontem, o Município contabilizava 15 novos óbitos — explicou.

O aumento, obviamente, impactou os indicadores avaliados pelo governo do Estado, que deve definir sobre a mudança ou manutenção de onda na próxima semana – quando a cidade terá completado o período de 28 dias de análise para a reavaliação de onda.

— Para indicar as pontuações são analisados, pela Secretaria de Estado de Saúde, os dados por macrorregião e microrregião de saúde. Os indicadores são, taxa de Incidência covid-19; taxa de ocupação de leitos UTI adulto; taxa de ocupação por covid-19; leitos por 100 mil habitantes; positividade atual RT-PCR; porcentagem de aumento da incidência; porcentagem de aumento da positividade dos exames PCR. Os dados são agregação conforme peso e nota de cada indicador. A análise determina o avanço ou retrocesso dos municípios nas ondas — comunicou a secretaria.

Fora de casa

Na nota enviada à imprensa, a Administração cita ter mantido e ampliado as ações de fiscalização e prevenção à covid-19, porém vê um relaxamento no isolamento social.

— A Prefeitura, ao aderir ao programa Minas Consciente, adotou novas medidas de combate e enfrentamento à doença. A população, por sua vez, afrouxou estas medidas de segurança, colocando em risco a saúde dos cidadãos e a situação de Divinópolis — afirmou.

Por fim, a secretaria destacou que o Comitê Municipal de Enfrentamento ao Novo Coronavírus estuda medidas para reduzir os indicadores.

— O comitê discutirá medidas que possam ser tomadas para restringir o funcionamento de certos setores e consequentemente baixar a pontuação, a fim de evitar a entrada da cidade na onda vermelha e assegurar a saúde da população — finalizou.

Morte

A Prefeitura confirmou ontem mais duas mortes por covid-19 em Divinópolis. A primeira vítima, um homem, de 77 anos, portador de doença cardiovascular crônica, estava hospitalizado no Complexo de Saúde São João de Deus desde o dia 23 de agosto, foi transferido para a UTI no dia seguinte e morreu no último domingo, 30. 

A segunda era uma técnica em enfermagem, de 47 anos, no Complexo de Saúde São João de Deus. O óbito, de acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, é "antigo" – a data não foi informada –, porém o resultado positivo chegou apenas ontem, no fim da tarde. A Administração prometeu dar mais detalhes sobre o caso hoje. 

Com isso, Divinópolis chegou à marca de 38 óbitos pela doença – outros dois registros ainda estão em investigação.

O município alcançou na semana passada a marca de mil casos confirmados de coronavírus; até ontem, já eram 1.029 – com 908 já recuperados. Ainda segundo o boletim divulgado ontem, duas crianças, uma de dez anos e outra de quatro meses, estão internadas em leitos de Centro de Terapia Intensiva (CTI) exclusivos para covid-19. 

Comentários
×