Cruzeiro vence em Itaquera e conquista o hexa da Copa do Brasil

José Carlos de Oliveira

O Cruzeiro é hexa campeão da Copa do Brasil e faz história no futebol brasileiro. No duelo de volta da decisão do torneio nacional, na noite desta quarta-feira, na Arena Itaquera, o time celeste voltou a vencer o Corinthians, desta feita por 2 tentos a 1, e se tornou o maior vencedor da competição.

Os gols da partida foram marcados por Robinho, no primeiro tempo, e De Arrascaeta, na segunda etapa para o Cruzeiro, com Jádson, em cobrança de pênalti, descontando para o time paulista.

A Raposa agora é o maior vencedor da Copa do Brasil, com seis troféus de campeão, nos anos de 1993, 1996, 2000, 2003, 2017 e 2018, superando o Grêmio, que tem cinco títulos.

Com o hexa, o time celeste também foi o primeiro time a conquistar a Copa do Brasil por dois anos consecutivos, e se tornou o maior vencedor de torneios nacionais no século, com sete taças de campeão, sendo três Campeonatos Brasileiros (2003, 2013 e 2014) e quatro Copas do Brasil (2000, 2003, 2017 e 2018).

Herói do título

O meia-atacante uruguaio Giorgian De Arrascaeta foi o nome da decisão contra o Corinthians. Depois de jogar na véspera pela seleção do Uruguai, na derrota de 4 a 3 para o Japão, do outro lado do mundo, o jogador só desembarcou em São Paulo no fim da tarde desta quarta-feira.

A diretoria do Cruzeiro teve que fazer um investimento de R$ 60 mil para que Arrascaeta viajasse de primeira classe do Japão para o Brasil, e tivesse condição de entrar em campo na noite desta quarta-feira. Ele entrou no lugar de Rafinha, no meio da segunda etapa, quando o Corinthians fazia pressão para virar o placar, e num rápido contra-ataque. Ele recebeu passe de Raniel e com um toque de categoria, deu uma ‘cavadinha’, encobrindo o goleiro Cássio e colocando o Cruzeiro com as duas mãos na taça.

Primeiro tempo azul

O Cruzeiro foi o dono das ações na primeira etapa do jogo, abriu o placar com Robinho, mandou duas bolas na trave, com Hernán Barcos e Dedé, e poderia ter construído uma vantagem ainda maior.  Mas o primeiro tempo ficou apenas no 1 a 0.

Tempo do VAR

Na segunda parte do jogo, o Corinthians foi com tudo parra tentar virar o marcador e ficar com a taça. Aí apareceu a figura do Árbitro de Vídeo (VAR) em dois lances cruciais e polêmicos. No primeiro, no início da partida, viu pênalti (inexistente para muitos) de Thiago Neves num lance com o volante Ralf, e minutos depois anulou a virada do Corinthians, num golaço de Pedrinho, marcando falta de Jádson no zagueiro Dedé, no início do lance.

Detalhes da Partida

Jogo: Corinthians 1 x 2 Cruzeiro

Motivo: Jogo de volta das finais da Copa do Brasil

Data: 17/10/2018 (quarta-feira)

Local: Arena Corinthians

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães – Fifa (RJ)

Público: 45.978 presentes / 46.571 pagantes - Renda: R$ 5.108.151,00

Gols: Robinho aos 27 minutos do primeiro tempo (Cruzeiro); Jádson aos nove minutos segundo tempo, de pênalti (Corinthians) e De Arrascaeta, aos 36 minutos do segundo tempo (Cruzeiro).

Corinthians: Cássio; Fagner, Henrique, Léo Santos e Danilo Avelar; Gabriel (Mateus Vital) e Ralf e Jádson; Emerson Sheik, Angel Romero e Jonathas (Pedrinho). Técnico: Jair Ventura

Cruzeiro: Fábio; Edilson, Léo, Dedé e Lucas Romero; Henrique, Ariel Cabral, Robinho, Thiago Neves e Rafinha (De Arrascaeta); Hernán Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes

Cartões amarelos: Rafinha, Thiago Neves (Lucas Silva), Robinho (Cruzeiro), Ralf, Gabriel, Emerson Sheik, Fagner, Jádson, Claison (Corinthians)

Comentários
×