Crueldade

Preto no Branco

A semana começa em Divinópolis como terminou a última. Os grupos de WhatsApp fervilhando e, principalmente, replicando mensagens que ferem, machucam e são capazes de acabar com a reputação de dezenas de pessoas. E o pior: boa parte delas sabe que se trata de informação distorcida, mentirosa e, mesmo assim, insiste em disseminar o ódio em uma cidade que junta os cacos em um momento tão caótico. O que fizeram e continuam fazendo com Laiz Soares, Warlon Elias e Lohanna França não tem outra palavra para nomear que não seja covardia. Onde pretendem chegar? Queimá-los em praça pública, como fizeram na época da inquisição? Nada que cause surpresa, pois, na política suja que se faz no Brasil, transferir a culpa é muito mais fácil do que assumir a responsabilidade. 

Sem noção

A coisa caminha tanto para o caminho da acusação e da vingança que inventaram até um impeachment para Lohanna França, o que é ilegal. Uma petição que invadiu os grupos no fim de semana pede exatamente isso. Porém, o autor, com tanta ânsia de disseminar o ódio e cego pela vingança por um ato, o qual a vereadora nem é responsável, nem sequer teve o cuidado de consultar um especialista no assunto. Populares ou entidades, qualquer destes que for, não podem pedir impeachment, o correto é cassação do mandato. Por aí se vê o amadorismo e a baixaria inserida ou que ronda a política em Divinópolis.  É muita gente ruim e desinformada em um lugar só. Uma vergonha.

Caso de polícia 

A situação chegou a tal ponto que saiu do campo política/população para o da polícia. Desde o primeiro cartaz responsabilizando os três pelo fechamento do comércio, já são inúmeras idas e vindas da delegacia. Lohanna, por exemplo, esteve ontem pela manhã no local para fazer uma queixa-crime por perseguição e stalking. No fim de semana, viaturas da PM permaneceram próximo à casa de Warlon para garantir sua segurança, tendo em vista as inúmeras ameaças que vem recebendo. Uma vergonha nacional para uma cidade do porte de Divinópolis, que deveria servir de modelo para outros municípios e vira e mexe é alvo de comentários e chacotas devido aos maus exemplos. 

Nada a ver 

O que levou a tudo isso é a falta de conhecimento da maioria, aliada à maldade do restante. Enquanto boa parte foi instigada a acreditar que Laiz, Lohanna e Warlon foram os responsáveis pelo fechamento do comércio e outros segmentos, os manipuladores da opinião pública, esta que acredita em tudo, trabalhavam para que esta mentira se tornasse cada dia mais verdade. Com os três pegos para Cristo, o objetivo é que tudo culmine como se fosse fato verídico e os três sejam “fritados”. Mas cabe a nós, da imprensa séria e imparcial, levar a verdade a todos. Lohanna pode ter falado em um dos seus discursos na Câmara ser favorável ao fechamento do comércio, em um momento passado em que as graves consequências da covid-19 levavam a isso. Naquele momento, a doença crescia de forma acelerada e, talvez, se ela tivesse sido ouvida à época, não chegaríamos a este caos com tantas vidas de divinopolitanos perdidas. Porém, quanto à decisão de não abrir as portas decretada na semana passada, a responsabilidade é única e exclusiva do Estado de Minas, que acionou a Justiça pelo fato de o Município não estar cumprindo o estabelecido na onda roxa. Se querem vingança – o que não é o caminho ‒ vão direto às pessoas responsáveis. Crucificar pessoas inocentes, além de ser condenável aos olhos de Deus, é cruel e imoral. 





Comentários
×