Crônicas de amor?

Fernanda Ferreira 

Crônicas de amor? 
 
A data de 12 de junho permeia o imaginário como um dia de romance e muito amor. Sim, mas paralelo a isso há acontecimentos trágicos e cômicos e esses sim, são os que ficam marcados na memória. Raramente eu tenho dias comuns na minha vida, se existe alguém dirigindo o filme da minha vida provavelmente é o Almodóvar. Já fiz contagem regressiva para o namorado chegar na minha casa antes da meia noite sob ameaça de término eterno. Vi meu namorado ser cantado na minha frente na mesa de jantar e assim aprendi que essa data não foi feita para celebrar em grupos, sempre tem alguém disposto a trocar de casal com você e não estou dizendo sobre uma fantasia de uma noite, é furação de olho mesmo. Já tivemos reserva em restaurante com a mesa ao lado da ex. Pratos que nunca vieram por confusão da cozinha e acabamos dividindo um prato único de comida fria. Já vimos até o casal que dividia a mesa conosco cochilar durante o jantar, e eu precisar ensinar o garçom como se abre um vinho enquanto a trilha do local era o Fantástico numa televisão chiando. Acreditando que a maldição do dia dos namorados é uma cabeça de burro enterrada nas terras divinopolitanas, resolvemos então sempre viajar na data e assim começamos a colecionar melhores dias. O meu dia favorito no entanto, é um dia dos namorados sem namorado. No ano de 2001, eu com meus 17 anos saí com minha prima pra comemorar em um bar na cidade junto com outros amigos solteiros. A noite divertidissima terminou numa esquina do centro da cidade todo mundo rindo muito até que a dona da casa em frente abriu a janela e ameaçou a chamar a polícia pois, já era madrugada de um dia da semana. Com a minha pressa de abandonar o local do crime e seguir rumo a minha casa que estava há um quarteirão, não avistei o poste à minha frente e foi um encontro de grande impacto. Tal qual ganhei de presente um galo na testa que elevou minhas sobrancelhas à alguns centímetros que eu as avistava como se usasse viseira. A dor foi cessada ao olhar para o lado e ver minha prima em plena crise de riso do meu feito implorando para o xixi não descer pelas pernas. Porém, fomos vencidas. Andamos o último quarteirão ostentando um belo galo com hematoma em tons de roxo que dias depois era em tons de lilás, cinza, verde até desaparecer. E minha prima com as  calças molhadas até o pé,  sim, formou-se um laguinho no sapato, e aquele degradé de tons de azuis entre as pernas. Quem já viveu,  sabe. Como o trágico nunca vem à conta gotas, chegamos em casa e tinha visita dormindo em nossas camas. Fomos obrigadas a dividir um único colchão de solteiro. Pela avançada hora e as aulas que nos aguardava no dia seguinte, dormimos juntas, abraçadas compartilhando um pequeno espaço e sem tomar banho. E aí eu descobri o que é o amor verdadeiro e incondicional. Fala a verdade? Você jamais dormiria abraçado com seu namorado mijado na noite dos namorados e com um sorriso no rosto. 
 
Ame Tiradentes 
 
Hoje dia 12, começa uma série de lives do Projeto Ame Tiradentes. A missão das lives é captar recursos para estruturar a cidade para a reabertura segura tanto para os moradores e também turistas. Onde 95% da população depende do turismo para sobreviver, os 90 dias da cidade completamente fechada já foi um grande impacto. O isolamento no momento certo, fez com que Tiradentes não tenha um só caso da Covid 19. Esse fim de semana, em dias normais seria de grande volume de visitantes. Tanto pelo feriado de Corpus Christi quanto pelo dia dos namorados. Se você é como eu um apaixonado por Tiradentes não deixe de prestigiar. Artistas nacionais, regionais, grandes chefes de cozinha estão na programação. Acompanhe tudo através do @ametiradentes. Hoje a tarde teremos a Live do Por do Sol. Com Nicette Bruno e Betb Goulart, duas atrizes apaixonadas por Tiradentes. Eu tenho a honra de ser uma das embaixadoras do projeto e vou atualizar vocês de tudo que vai rolar por lá. Muita diversão, arte, música, gastronomia e cultura. 
 
Alma das ruas
 
O cenário musical mineiro sempre nos surpreende com novos lançamentos e parcerias. Lucas Mileib cantor e compositor da banda Midnight Mooca junto com seus parceiros e amigos  divinopolitanos Pedro Flora (guitarra) e Renato Saldanha (baixo) lançaram no último dia 5 de junho, a canção Soul of The street junto com o pianista Túlio Mourão. O segundo single do novo trabalho da banda, celebra e relembra a alma das ruas, um respiro para este momento de confinamento e isolamento social que estamos vivendo. Soul of the street ganha ainda mais uma força pois nascerá junto a um lyric video produzido a partir do encontro das fotografias urbanas do artista Alexandre Bicciati com os vídeos produzidos na turnê nacional da banda, realizada no início do ano, por Matheus Fleming, artista visual e músico de apoio da Midnight. A letra da música é revelada no vídeo por colagens de recortes de revistas e jornais, feito analogicamente pela artista belo-horizontina, Kessy Almeida. O clipe já está no canal do YouTube da banda, que ganha uma versão especial e exclusiva da faixa, com metais gravados pelos músicos Leonardo Brasilino (trombone) e Juventino Dias (trompete). Incrível!
 
Mais música 
 
A cantora divinopolitana Priscila Coelho lança seu primeiro videoclipe hoje dia 12. Dirigido pelo publicitário e cineasta Alisson Resende prestigiados inúmeras vezes aqui nessa coluna e em festivais mundo afora. Priscila atua como cantora de casamentos e cerimônias. A data escolhida não foi por acaso, o dia dos namorados será embalado pela versão romântica da música ‘’Just The Way You Are’’, sucesso do cantor americano Bruno Mars. A música será lançada nas plataformas digitais da cantora (instagram e YouTube). Quer uma trilha para embalar essa noite? Segue lá, @priscila_coelho. 
Comentários
×