Crise de “pelanca”

Enfim a Prefeitura de Divinópolis confirmou que o empresário Rafael Nogueira assumirá a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo. Rafael substituirá José Alonso e terá grandes desafios pela frente. Os primeiros são: tornar a cidade atrativa para novas empresas e fazer um trabalho de fortalecimento para valorizar as que aqui já estão, e não deixá-las ir embora. Além de tudo isso, o novo secretário, que toma posse hoje, terá que lidar com o ego e a vaidade dos vereadores. Com certeza, uma das partes mais cansativas. Antes mesmo de ter o martelo batido pelo prefeito Galileu Machado (MDB), o empresário disse que não colocaria a política à frente do desenvolvimento econômico de Divinópolis. Mas é aquilo: por mais que suas intenções sejam as melhores, tem gente que gosta só de atrapalhar. Foi só a nomeação de Rafael ser publicada que já teve vereador dando “crise de pelanca” porque o novo secretário não se apresentou ao Poder Legislativo. Difícil, muito difícil.

Os egos e as vaidades

Aqui em Divinópolis a coisa funciona mais ou menos assim: o secretário da pasta tem de andar na linha, certinho e, de preferência, puxar bastante o saco dos vereadores, se quiser continuar no cargo. É verdade que a função do Poder Legislativo é fiscalizar, mas, aqui, as coisas ultrapassam dos limites do interesse público. Quando os parlamentares pegam um para Cristo, sai de baixo. Haja ouvido para aguentar tanta falação, e também perseguição, que muitas vezes se torna pessoal. Rafael Nogueira nem assumiu o cargo e já tem vereador mais preocupado em sua apresentação do que em buscar recursos para Divinópolis. O mais engraçado disso tudo é que o parlamentar em questão é um dos que menos trabalha na Câmara. Quase não vai ao Poder Legislativo nos dias que não são de reunião ordinária, e também quase não apresentou projeto de lei ou propostas significativas para a cidade. É um vereador bibelô, só fica lá de enfeite. E ainda reclama de o secretário não ter se apresentado aos parlamentares. É dureza. Divinópolis está precisando de mais gente para trabalhar, e menos egos e vaidades.

Malandro é o gato...

Dizem por aí que malandro é o gato, que nasce de bigode e mora no telhado para não pagar aluguel. Esperto, muito esperto esse gato. Só não é tão esperto quanto um vereador de Divinópolis que, além de ter “obrigado” o prefeito Galileu Machado (MDB) a cobrar a taxa de Uso e Ocupação de Solo dos donos de bancas da cidade, ainda teve o descaramento de bater nas costas dos proprietários durante uma reunião na Prefeitura, e se faz de defensor da moral e dos bons costumes. Só que o problema maior não é ele fazer isso – de caso muito bem pensado – mas a população cair igual patinho. Circula nos bastidores que alguém, em algum lugar, fez um dossiê desse parlamentar, que será divulgado no ano que vem, com a proximidade das eleições. Agora é aguardar ansiosamente, pegar a pipoca e ver a política divinopolitana pegar fogo. E é o que todos já estão acostumados.

Ah, os bastidores

Ah, se por um momento, se por um milagre, a população deixasse de ser tão egoísta, parasse de pensar só em ter benefícios com a política e se interessasse em fiscalizar de perto tanto o Poder Executivo quanto o Legislativo. Talvez as coisas não estivessem tão largadas quanto agora. Se tem um lugar bom para a população andar, é nos corredores da Câmara e da Prefeitura, porque é de lá que saem as maiores tretas, os maiores planos, que não têm o povo como principal beneficiado. Ah, se por um momento o povo se interessasse pelos bastidores e deixasse os vídeos das redes sociais de lado.

Comentários
×