Criminosos trocam tiros com polícia, capotam carro e tentam matar policial

Ana Lúcia Silva

 Três municípios do Centro-Oeste  se envolveram nesta terça-feira, 15, em um caso que assustou moradores e resultou na instauração de um inquérito por parte da Polícia  Federal (PF). Criminosos armados assaltaram a agência dos Correios em Carmópolis de Minas e fugiram sentido aos municípios de Oliveira e São Francisco de Paula.

Segundo informações do  chefe da PF em Divinópolis, delegado Daniel Souza, que fez o flagrante, após o assalto em Carmópolis, os bandidos fugiram no veículo usado na ação e, ao passar pelo município de Oliveira foi visto pela PM, que imediatamente deu apoio na operação de cerco e bloqueio.

— O veículo passou pela cidade e seguiu para São Francisco de Paula. Chegando na entrada do município já havia um bloqueio, esse veículo então entrou em um posto, fez uma manobra arriscada tentando retornar para a rodovia. Em seguida, os bandidos tentaram acertar o carro em fuga contra os carros e motos da PM, havendo ali uma troca de tiros. Neste momento o veículo usado no crime perdeu o controle da direção e capotou algumas vezes — explicou.

Ainda segundo o delegado, após o acidente três homens saíram do carro e fugiram sentido a um matagal, momento em que a PM prendeu um dos assaltantes, que depois foi encaminhado para a delegacia da PF em Divinópolis.

— Ontem ainda, ocorreu outra abordagem e mais um foi preso, havendo novamente mais uma troca de tiros. Ele foi levado para a Policia Civil  de Campo Belo, sendo inclusive, preso por tentativa de homicídio contra militares, já que atirou contra os policiais — completou o delegado.

investigação

O delegado disse ainda que a investigação sobre os crimes dos dois presos será relacionada e que os inquéritos continuam no intuito de localizar o terceiro suspeito.

Moradores de São Francisco de Paula contaram que ouviram os disparos e se assustaram com a ação dos criminosos.

— Todos os moradores que residem próximo a rodovia ouviram os tiros. Foram muitos. Nos assustamos muito porque a cidade é pacata e não estamos acostumados com este tipo de  criminalidade — destacou um morador que preferiu não ser identificado.

Comentários
×